Como burlar a vontade da maioria em um processo de votação

Paulo C Philippi

Após a minha aposentadoria da UFSC, resido e trabalho em Curitiba e não tinha como estar presente na AG de 22/04 quando 95 associados decidiram a forma da cédula de votação que irá decidir o futuro da Apufsc. Ainda que não estivesse presente nesta assembleia, presumo que a forma da cédula foi proposta por alguém ou pela própria mesa e colocada em discussão e votação.
Também presumo que a forma proposta e aprovada foi exaustivamente estudada pelo grupo ou indivíduo que a propôs.

E com qual objetivo?
Vejamos quais eram as alternativas de cédulas para a votação dos associados.
A mais natural seria uma cédula com 3 alternativas:

  • A Apufsc deve continuar independente e autônoma
  • A Apufsc deve filiar-se ao Proifes
  • A Apufsc deve retornar à sua condição de SSind da Andes

Por que esta seria a alternativa mais natural?… Há várias razões e todas baseadas no fato de estarmos diante de 3 conjuntos excludentes (sem interseção). Andes e Proifes não se bicam. O perfil de associado simpático à Andes  nunca irá admitir uma filiação ao Proifes,  e vice-versa. Porque os docentes favoráveis à manter a Apufsc independente e Autônoma, ainda que por motivos inteiramente diferentes, não admitem o retorno à Andes ou mesmo à filiação ao Proifes.
Quais seriam os resultados com esta forma de cédula?
Se nos basearmos nos resultados apurados os resultados seriam estes

  • A Apufsc deve continuar independente e autônoma: 380 votos
  • A Apufsc deve filiar-se ao Proifes: x votos
  • A Apufsc deve retornar à sua condição de SSind da Andes: 359-x votos

Os 380 votos acima são o resultado dos 344 votos da segunda etapa, por manter a Apufsc independente, adicionados de 36 votos em branco na segunda etapa de associados que, consistentemente, não votaram na segunda etapa por terem votado na primeira opção na primeira etapa. Houve 48 votos em branco na segunda etapa, 12 dos quais de associados que votaram em branco já na primeira etapa  (e que não teriam quaisquer razões para votar na segunda).
Não sei com exatidão o valor de x, mas façamos a hipótese que x seja algo em torno de 150 (pessoalmente acredito que seja mais do que isto). Neste caso, o resultado seria:

  • A Apufsc deve continuar independente e autônoma: 380 votos
  • A Apufsc deve filiar-se ao Proifes: 150 votos
  • A Apufsc deve retornar à sua condição de SSind da Andes: 209 votos

Qualquer que seja o valor de x, os números acima mostram que a ampla maioria dos associados quer uma Apufsc independente e autônoma, uns por uns motivos, outros por outros.
E quem concebeu a cédula sabia disto!…
Como evitar que a vontade da maioria se imponha em um processo de votação?…
É simples, basta dividir os votos desta maioria.
Então façamos a cédula em duas etapas. Na primeira coloquemos duas opções:

  • A Apufsc deve continuar sem relação política e sem filiação às entidades sindicais nacionais
  • A Apufsc deve estabelecer relação política com as entidades sindicais nacionais de forma independente OU filiando-se a uma delas

209 (duzentos e nove) docentes caíram no engodo e votaram numa opção ‘espúria’. Sim, espúria, pois em contradição com os estatutos da Apufsc que em seu Art. 3, alíneas ‘n’ e ‘o’, considera o relacionamento político com outras entidades (sindicais ou não)  como uma atribuição (uma obrigação) do sindicato:
n) filiar-se a outras organizações de caráter sindical e estabelecer relações com entidades congêneres; o) promover a articulação do movimento sindical docente.
O que deve se esperar destes 209 associados?…Que votem em branco na segunda etapa. De fato, a cédula (eletrônica) não deveria permitir que estes 209 associados passassem para a segunda etapa.
Mas permitiu e destes 209, 173 associados votaram na opção “menos ruim” da segunda etapa enquanto 36 associados, consistentemente, votaram em branco.
E deu no que deu.
A maioria dos associados quer a Apufsc independente e autônoma, mas  deverá, agora, votar em uma entre duas opções:

  • A Apufsc deve filiar-se ao Proifes
  • A Apufsc deve retornar à sua condição de SSind da Andes

Lamentável!…
 
Ex-Secretário Geral na gestão 2008-2010
Ex Diretor de Imprensa na Gestão 2010-2012

Compartilhar