Atraso do MEC deixa UFRB sem reitor

Desde março, quando enviou ao MEC a lista tríplice, a Universidade Federal do Recôncavo Baiano aguarda o encaminhamento do ministério

Na última terça-feira (30), o mandato da reitora em exercício da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) encerrou sem que o presidente Jair Bolsonaro tivesse indicado um nome para assumir o cargo. A lista tríplice foi encaminhada em março para o Ministério da Educação (MEC). Após cinco meses de espera, não houve encaminhamento e a UFRB está oficialmente sem dirigente, informa a Folha de São Paulo.

A ausência de uma figura jurídica impede operações como a realização de pagamentos e firmamento de contratos. A UFRB é a segunda maior universidade federal da Bahia e possui cinco campi com 12 mil alunos, 800 professores e 700 servidores.

O Conselho Universitário chegou à conclusão de que não há base legal para nomear um substituto em caso de vacância das vagas de reitor e vice-reitor. “Estamos nessa situação surreal em que a universidade ficou sem ninguém para responder por ela”, afirmou à Folha o professor Jorge Cardoso, membro do Conselho Universitário.

Leia na íntegra: Folha

Compartilhar