“É equívoco exigir que a indústria financie a universidade”, diz presidente da Apufsc na CBN

Bebeto Marques esteve em debate sobre a greve estudantil e o Future-se

O presidente da Apufsc, Bebeto Marques, participou nessa tarde de um debate na rádio CBN sobre a greve estudantil na UFSC e o programa Future-se. A conversa foi conduzida pelo jornalista Renato Igor, e teve a participação do Coordenador-Geral do DCE, Marco Antônio Pinheiro, do integrante da Chapa Zero Gabriel Cesar de Andrade, de oposição ao DCE, e do professor de Engenharia Mecânica Sérgio Colle. 

Ao longo do debate, Bebeto fez uma defesa do movimento dos estudantes, e questionou os pontos principais do Future-se.  “Trata-se de um mecanismo de desresponsabilização da união para uma instituição que é patrimônio nacional.”

O professor Sérgio Colle disse que o contingenciamento nas universidades é necessário por causa dos governos do PT. “Lula e Dilma promoveram a destruição total do sistema educacional do Brasil”, disse o professor.

Em resposta, Bebeto disse ao professor que “parece que todo mundo que não pensa como o senhor e não aceita as ideias do governo Bolsonaro quer destruir a universidade. A universidade brasileira é recente, e deve ser melhorada, mas o que o governo faz é um golpe de machadada”.

“Mesmo que aceitemos a ideia de crise, precisamos discutir quais são as prioridades do governo. Se esse governo acha que educação é um custo, e não um investimento, que diga claramente. A participação da indústira no PIB brasileiro vem caindo, e hoje é de 11%. Exigir que esse setor financie o ensino superior é um equívoco.”

O presidente da Apufsc também disse que é necessária uma lei para regulamentar a autonomia universitária.

Victor Lacombe

Compartilhar