Economista deixa Cultura e assume pasta no MEC que credencia faculdades privadas

Ricardo Braga fez carreira no mercado financeiro e não tem experiência na área de educação

O economista Ricardo Braga deixou na última quarta-feira (6), a Secretaria Especial de Cultura do Ministério da Cidadania para assumir a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação (Seres/MEC). 

Sem experiência na área de educação, Braga assume pasta estratégica ao governo, pois aprova o credenciamento de novas faculdades e a abertura de novos cursos na rede particular de ensino. A secretaria ainda é alvo de pressão por políticos e grupos educacionais.

Braga esteve por apenas dois meses à frente da Cultura. Paulistano de 50 anos, ele é formado em Economia pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU-SP) e tem MBA em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ao assumir a Secretaria de Cultura, o Ministério da Cidadania informou que Braga construiu uma trajetória no mercado financeiro, de bancos e corretoras, e tem experiência na gestão de operações e investimentos.

Leia na íntegra: Estadão

Compartilhar