Brasil deixará de participar de reuniões sobre educação no Mercosul

Abraham Weintraub disse que medida vai gerar economia para o ministério

O Brasil deixará de participar das reuniões de coordenação de políticas educacionais do Mercosul por entender que os custos são elevados e os resultados objetivos das discussões, nulos, afirmou nesta sexta-feira (29) o ministro Abraham Weintraub (Educação).

Ele disse que os demais participantes dessas conversas foram avisados nesta sexta da mudança de postura do governo brasileiro e ressaltou que a decisão do país “praticamente” não terá impacto no que já está em andamento.

“Tudo que tiver de iniciativa na área de educação vai ser mantido. A única coisa é que essas reuniões não vão mais acontecer com a presença do Brasil”, afirmou.“

“É só isso, porque, na prática, nada foi obtido. E o pouco que está sendo discutido é bilateral. Então, na prática, significa economia de recurso do pagador de imposto para mais painel fotovoltaico, para mais creche, para mais ônibus escolar. Esse que é o impacto”.

Leia mais: Folha

Compartilhar