Weintraub reafirma na Câmara que há produção de drogas em universidades federais

Casos citados como exemplos pelo Ministro da Educação durante sua fala já foram investigados e não geraram processo para as instituições

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, reafirmou nesta quarta-feira (11) a existência de plantações de maconha e laboratórios de produção de drogas nas universidades federais. A declaração foi dada à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, que convocou o ministro da educação para esclarecer uma entrevista dada no fim de novembro. No início da exposição, o ministro mostrou reportagens sobre pés de maconha apreendidos em uma área de matagal da Universidade de Brasília (UnB). Acompanhe aqui a audiência ao vivo.

O ministro da Educação também mostrou reportagens sobre o consumo de maconha e drogas sintéticas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). As reportagens, como mostrou o G1 em novembro, não indicam participação ou anuência dos gestores das universidades. Nenhum processo foi aberto contra os reitores das instituições.

“As universidades estão sim doentes, estão pedindo o nosso socorro”, disse o ministro. “Eu sou a favor da autonomia universitária para pesquisa, para ensino. Pode ensinar o que quiser, falar de Karl Marx, não tem problema. Agora, a PM tem que entrar nos campi.”

Os casos citados pelo Ministro já foram investigados pela Polícia e não geraram nenhum processo para às Universidades Federais.

Em um dos episódios, pés de maconha foram apreendidos em uma área de cerrado próxima ao campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB). Dois estudantes foram detidos, fizeram acordo e cumpriram penas alternativas. Nenhum professor ou diretor da UnB foi implicado na acusação.

No outro, 140 “buchas” de maconha e 1 kg de haxixe foram apreendidos na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). No mesmo dia da ação, a Polícia Civil negou que os traficantes fossem alunos ou funcionários da UFMG.

Leia na íntegra: G1

Compartilhar