Bloqueio de contratações afetará 945 alunos do Colégio de Aplicação a partir desta segunda-feira

Portaria do MEC que proíbe a contratação de professores levou à suspensão de processos seletivos e Aplicação começa o ano letivo com 11 professores a menos

Nesta segunda-feira (10), o Colégio de Aplicação inicia o ano letivo com desfalque de 11 professores em razão da portaria do MEC que suspendeu contratações de docentes e técnicos por tempo indeterminado. A falta de professores de Língua Portuguesa, História, Educação Geral, Educação Física e Educação Especial vai afetar os 945 alunos do Aplicação porque o  mesmo corpo docente atende as séries iniciais, médias e finais, explica o diretor do Colégio, professor Edson Souza de Azevedo, que vai se reunir com os pais dos alunos na terça-feira (11), às 18 horas, no Auditório Garapuvu do Centro de Eventos da UFSC para tratar do assunto.

“Entregamos nosso planejamento à Pró-reitoria da Graduação (Prograd) no dia 10 de dezembro, estava tudo preparado selecionarmos os substitutos, mas no dia 10 de janeiro fomos comunicados que as contratações estavam bloqueadas. Estamos muito preocupados e sem horizonte”, diz o diretor. Três processos seletivos para cinco substitutos tiveram que ser suspensos. Além disso, o Colégio teve que abrir mão de outros três docentes que já haviam sido selecionados  no ano passado e estavam para ser contratados. Há, ainda, dois concursos para professor efetivo em andamento – e agora sem previsão de contratação.

“Para tentar minimizar as lacunas a equipe vai se desdobrar para dar conta das aulas na primeira quinzena, emergencialmente. Mas não conseguiremos cobrir tudo porque são muitas turmas e haverá choque de horários”, antecipa Azevedo. Três das contratações suspensas  eram para professores da área de Educação Especial – que atende a 65 alunos com algum tipo de deficiência e que, em função disso, requer formação especializada.

Imprensa Apufsc

Compartilhar