Plataforma destaca 250 mulheres protagonistas na ciência brasileira

Projeto Open Box da Ciência faz levantamento inédito sobre a presença de mulheres no ambiente acadêmico

A organização de mídia Gênero e Número lançou nesta quarta-feira (12) uma plataforma na qual identifica as 250 mulheres que protagonizam a pesquisa brasileira. Com o apoio do Instituto Serrapilheira, foi criado um algoritmo que extrai dados do Lattes e pontua pesquisadoras e pesquisadores a partir de uma série de critérios. O projeto chamado Open Box da Ciência tem como objetivo dar visibilidade às mulheres na área de pesquisa. 

O levantamento novos números sobre a participação das mulheres no ambiente acadêmico. Elas representam 46% dos professores em Ensino Superior no Brasil. No entanto, apenas 15% das cientistas mulheres que são docentes e pesquisadoras recebem alguma bolsa.

Ao fazer a análise por área de estudo, entre os doutores de engenharia, por exemplo, foi observado que apenas 26% são mulheres. Nas ciências exatas e da terra, elas representam 31%. A única área analisada em que as mulheres são maioria, segundo a plataforma, é nas ciências da saúde, em que equivalem a 56% dos doutores.

Os critérios utilizados pelo Open Box da Ciência para pontuar os pesquisadores foram a quantidade de artigos publicados em revistas de impacto (qualis A1, A2 e B1); a ordem de autoria dos artigos; a quantidade de prêmios recebidos e quantas vezes participou ou organizou eventos, congressos, exposições e feiras científicas — além de ter, no mínimo, doutorado.

Na plataforma, é possível ter acesso a infográficos que concentram os dados do levantamento. Além disso, entrevistas e perfis das 50 pesquisadoras mais bem pontuadas de cada área de pesquisa serão disponibilizadas com o intuito de divulgar suas contribuições. 


Leia na íntegra: Revista Galileu

Compartilhar