Universidade do PR transforma pinga e cerveja em álcool gel pra combater coronavírus

Bebidas apreendidas pela Receita Federal são usadas pelos professores e estudantes dos cursos de Química, Administração e Farmácia da Unicentro

Bebidas alcoólicas como cachaça, vinho, cerveja, vodca e licor apreendidas pela Receita Federal têm servido como importante matéria-prima no combate ao coronavírus. Elas são utilizadas para fabricação de álcool gel 70% pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), em Guarapuava, região central do estado, para ser distribuído nos campus da instituição e em órgãos públicos municipais, estaduais e federais da região.

Professores e estudantes dos cursos de Química, Administração e Farmácia estão envolvidos na produção do álcool gel. As bebidas destiladas e fermentadas enviadas pela Receita Federal são separadas em tambores de mil litros e então armazenadas em tanques aéreos.

É então iniciada a destilação, em um processo parecido com os alambiques na produção de cachaça. Na primeira etapa, o produto é transformado em álcool com 40% a 50% de pureza. Um novo processo de retificação é feito, para o produto chegar a um grau de 86% de pureza.

O material é levado para o laboratório de análises para chegar ao álcool 70%, quando o líquido já pode ser utilizado para limpeza. Para a fabricação do gel, outros produtos químicos são adicionados. O material é envasado na própria universidade, em embalagens a granel, de 5 quilos, ou nos pumps de álcool em gel, para então ser distribuído às instituições parceiras.

Só semana passada, quando surgiram os primeiros casos de coronavírus no Paraná, 1,2 tonelada de álcool gel foi produzida pela Agência de Inovação Tecnológica da Unicentro (Novatec). O número representa cerca de 16% de toda a produção anual do produto. Para os próximos 15 dias, a Novatec vai produzir mais 3 toneladas só para dar conta da demanda do coronavírus. É metade da produção de todo o ano de 2019 feita em apenas duas semanas.

O diretor da Novatec, professor Maico Taras da Cunha, informa que a agência também produz álcool comum, o de limpeza, mas precisou interromper essa produção para ficar só no álcool gel. “Dá para dizer que os pedidos pelo álcool 70% aumentaram 1.000%”, apontou Cunha. Desde 2008, a Novatec utiliza bebidas apreendidas por nove delegacias da Receita Federal do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso para a produção de álcool gel e líquido.

Por ano, são enviadas ao campus da Unicentro cerca de 90 toneladas de bebidas apreendidas nas operações de fiscalização, que viram até 6 toneladas de álcool gel e 5 toneladas de álcool de limpeza. Todo o material produzido é utilizado no setor de saúde da própria universidade ou doado para órgãos públicos, como unidades de saúde, escolas, delegacias da Polícia Civil, batalhões da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Detran e Defesa Civil.

De acordo com a Novatec, mesmo com o aumento na demanda, a agência não corre o risco de ficar sem a matéria-prima. O estoque enviado pela Receita Federal deve ser suficiente para atender aos novos pedidos, que se concentram em órgãos públicos da região dos campus da Unicentro, em Guarapuava e Irati.

Fonte: Tribuna


Compartilhar