Capes atende reivindicação da ANPG e prorroga prazos para defesas de teses

Associação também cobra mais prazo para a vigência das bolsas

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) atendeu a uma reivindicação da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) e prorrogou os prazos para defesas de teses dos programas de pós-graduação por 60 dias. A agência também orientou que as bancas de mestrado e doutorado sejam realizadas por meio virtual.

Na semana passada, em virtude do avanço da pendemia Covid-19 e as recomendações de isolamento social feitas pelas autoridades sanitárias, a ANPG havia enviado ofícios a ministérios e a Capes solicitando que as atividades presenciais da pós-graduação fossem suspensas e que medidas para readequação dos prazos fossem tomadas, de maneira a preservar a saúde de estudantes e professores.

“Pedimos a suspensão imediata de todas as atividades acadêmicas que envolvem a pós-graduação no país com dilatação dos prazos das obrigações, readequando-os de forma a seguir estritamente as orientações sanitárias dos orgãos de saúde competentes”, apontava a entidade representativa dos pós-graduandos.

Flávia Calé, presidenta da ANPG, diz que a medida é correta, mas também cobrou maior prazo para a vigência das bolsas. “A decisão é fundamental para dar tranquilidade a todos os pós-graduandos e professores num momento de grave crise humanitária no Brasil e no mundo. Importante que a extensão do prazo possa ser ampliada, caso seja necessário, e que se expresse também na ampliação do tempo de vigência das bolsas de estudo”.

A Faperj e a Fapesp, fundações de amparo à pesquisa do Rio de Janeiro e de São Paulo, já publicaram resoluções estendendo automaticamente o pagamento das bolsas de estudos por 90 dias, dispensando os bolsistas de quaisquer procedimentos adicionais. “Queremos que as agências nacionais e outras agências dos estados sigam essa medida, que é fundamental nesse momento de superação da crise”, concluiu Vinicius.

Fonte: Jornal da Ciência

Compartilhar