Perda de olfato e paladar podem indicar coronavírus, alertam especialistas

Sinais podem ajudar detecção de “propagadores silenciosos”, que difundem vírus sem saber que estão doentes

Perda de olfato ou paladar pode ser um sinal precoce de infecção pelo novo coronavírus, afirmam especialistas de vários países. Segundo eles, esse sintoma pode até servir como uma ferramenta útil para detectar doentes com covid-19 considerados assintomáticos, por não apresentarem sinais como febre, tosse e falta de ar.

Estatísticas oficiais sugerem que o novo coronavírus infectou mais de 380 mil pessoas no mundo, mas muitos casos ainda seguem não diagnosticados, e especialistas estão preocupados com o potencial que doentes assintomáticos têm de espalhar a doença.

A ideia de que uma infecção por vírus pode reduzir o olfato não é nova. Uma infecção viral respiratória é uma causa comum de perda de olfato, já que uma inflamação pode interferir no fluxo de ar e na capacidade de detectar odores. O sentido do olfato geralmente retorna quando a infecção é curada, mas em uma pequena parcela de casos, a perda da capacidade de sentir cheiro pode persistir após outros sintomas desaparecerem. Em alguns casos, ela pode ser permanente.

Segundo uma carta aberta divulgada pelos presidentes da Sociedade Britânica de Rinologia e do ENT UK, grupo britânico que representa otorrinolaringologistas, agora, há “evidências”, vindas de países como Coreia do Sul, China, Irã, França e Itália, para perda ou comprometimento do olfato em pessoas infectadas pelo vírus Sars-Cov2.

Leia na íntegra: Deutsche Welle Brasil


Compartilhar