MEC anunciou em março ampliação da estrutura para webconferências e outras medidas

Segundo o Ministério, cerca de 123 mil alunos e professores são beneficiados com sistemas que permitem reuniões virtuais

O Ministério da Educação (MEC) anunciou em março a ampliação da estrutura para a realização de webconferências em universidades e institutos federais. Segundo o anúncio, feito há quase dois meses mais de 123 mil alunos e professores poderiam ser beneficiados, 50% a mais dos 82 mil que poderiam utilizar o benefício anteriormente.

Os relatórios mais atualizados do Ministério da Educação, no entanto, não trazem mais nenhuma novidade em relação a essa medida.

Segundo o MEC, as instituições federais de ensino superior público contam com 15 salas de reuniões simultâneas de webconferência – uma unidade pode receber até 75 participantes. Antes, eram 10 salas simultâneas para esse número de pessoas. As salas virtuais podem ser acessadas por computadores pessoais e smartphones.

A capacidade total do serviço de 1,7 mil acessos simultâneos passa, agora, para 10 mil. O serviço é ideal para reunir um grupo de usuários que precisam discutir um trabalho específico, por exemplo. O mecanismo também dispõe de fácil agendamento e envio de convites.

O MEC também informou em março ter aumentado a capacidade do serviço de videoconferência de 10 para 30 salas virtuais, com até 15 pontos remotos em cada sala. Para realizar as reuniões, basta que o usuário conecte a um computador a uma televisão disponível na sua instituição, utilizando um navegador web.

“Com a medida, além de apoiar pesquisadores, professores e alunos, o MEC dá suporte para os departamentos de Tecnologia e Informação e Educação a Distância das instituições de ensino superior públicas, ao oferecer insumos tecnológicos para aumentar a capacidade de soluções de comunicação e colaboração a distância existentes nos campi”, diz o Ministério, ao anunciar a ampliação em março.

Fonte: MEC

Compartilhar