Coronavírus: Apufsc dá apoio financeiro a diferentes iniciativas para superar a crise

Confira os projetos apoiados pela Apusfc Solidária e veja como participar da campanha que recolhe fundos para ajudar famílias carentes na pandemia

Para colaborar com as ações de saúde pública no combate à pandemia de coronavirus, a Apufsc lançou um pacote de apoio a diversas frentes de trabalho. Por meio do programa Apufsc Solidária, o sindicato está ajudando a financiar várias iniciativas, todas com o objetivo comum de amenizar os problemas gerados pela Covid-19. O conjunto de medidas abrange desde a doação de cestas básicas para famílias carentes até a compra de insumos para a construção de um protótipo de respirador em desenvolvimento por uma equipe multidisciplinar da UFSC.

A Apufsc também participa de uma campanha do Instituto Padre Vilson Groh (IVG), do qual é parceira em ações solidárias, para arrecadar fundos para a compra de cestas básicas distribuídas a famílias de baixa renda de Florianópolis e região . Veja aqui como participar. Além da parceria na divulgação da campanha, a Apufsc também contribuiu com a doação de 200 cestas básicas.

O presidente da Apufsc, Bebeto Marques, avalia que o momento exige que sejamos proativos e uma forma é “a solidariedade ao povo que tem fome, está desempregado e mais exposto ao vírus.” Ele acrescenta que, “a outra forma de ajudar que escolhemos foi dar algum apoio àqueles que, com conhecimento técnico e científico, já estão trabalhando para ajudar a população. Esse apoio que demos aos professores da UFSC, ainda que modesto, fortalece o papel social da ciência e da universidade, ajudando na produção de material de saúde em um momento extremante grave. Afinal, sindicato é também para oferecer soluções e proteger, não apenas para reivindicar”, avalia.

O número insuficiente de respiradores nas UTIs é um dos agravantes no atendimento dos casos graves de coronavírus. Para amenizar este problema, uma equipe de professores e pós-graduandos da UFSC, integrada pelas engenharias Mecânica  e Biomédica, trabalha para desenvolver um protótipo de respirador que possa ser produzido em massa por parceiros da indústria. Segundo o coordenador desta equipe, o aluno de doutorado do Laboratório de Robótica da Engenharia Mecânica Thiago Hoeltgebaum, a expectativa é concluir esse protótipo dentro de duas semanas.

“A Apufsc entrou com um bom auxílio financeiro para que pudéssemos comprar os insumos e equipamentos necessários à construção do protótipo”, conta Thiago. O sindicato investiu cerca de R$ 9 mil neste projeto e os benefícios que os respiradores podem trazer são inestimáveis. Numa primeira etapa, explica Thiago, a equipe que agora vai desenvolver o protótipo de respirador conseguiu automatizar o uso de reanimadores – equipamentos usados em ambulância para fornecer oxigênio aos pacientes. A ideia é usá-los como ventiladores mecânicos como apoio no atendimento aos doentes. Para conseguir a automatização desses equipamentos, a equipe de engenheiros contou com a assessoria de médicos e enfermeiros do Hospital Universitário que os ajudou a cumprir os requisitos técnicos.

“Nós somos bons em máquinas, eles são bons em corpo humano”, resume Thiago. O projeto que ele coordena integra o grupo multidisciplinar criado na universidade para atender às demandas geradas pela pandemia de coronavírus. Chamado de Equipamentos Médicos de Emergência  da UFSC ou EME-UFSC, este grupo reúne “projetos abertos e colaborativos” no qual o que importa é somar diferentes competências para alcançar um bem comum.

Protetores de face

O Laboratório de Prototipagem e Novas Tecnologias Orientadas ao 3D (PRONTO-3D), por sua vez, está produzindo cerca de 100 protetores de face por dia a pedido das Prefeituras de Florianópolis e de outros municípios catarinenses. O equipamento serve para proteger da contaminação pessoas que estão em contato direto com o público, como atendentes e policiais, ou que ficam expostos a contaminantes, como lixeiros e motoristas de caminhão. A Apufsc vai contribuir com R$ 4 mil para a compra de materiais para os protetores de face, fabricados com placas de acetato por meio de impressão 3D. Segundo o coordenador do laboratório, professor Luiz Salomão Ribas Gomez, “a ideia é aumentar a produção diária, que é pequena porque temos poucas impressoras”. A demanda pelo produto nos municípios é crescente.

Laboratórios da UFSC atuam em parceria com o LACEN

Outra importante ajuda da Apufsc foi a doação de R$ 10 mil aos laboratórios da UFSC que compõem a força tarefa que atua em colaboração com o Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (LACEN) na realização de diagnóstico da infecção pelo coronavírus. O auxílio foi direcionado à aquisição de dois kits e material apropriado à extração de RNA do vírus.

Imprensa Apufsc

Compartilhar