ADUFC solicita mediação do MPF para retorno das aulas 

Sindicato dos professores da Universidade Federal do Ceará deliberou pela não retomada do semestre, prevista para o dia 20

O Sindicato dos docentes das Universidades Federais do Ceará (ADUFC)) deliberou, na última sexta-feira (10), pelo estado de mobilização e Assembleia Permanente na universidade. Os professores também decidiram não retomar o semestre 2020.1 no dia 20 de julho, como definido pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão  (CEPE).

Segundo o sindicato, a reunião do CEPE que aprovou a Proposta Pedagógica Emergencial (PPE) violou o princípio da gestão democrática.

Na última sexta-feira, a ADUFC protocou no MPF uma representação para que o órgão estabeleça um procedimento administrativo formal de mediação entre a UFC e a ADUFC para tentar chegar à solução de inúmeros impasses. A ideia é que se estabeleça, extrajudicialmente, a tentativa de assegurar os direitos dos professores junto à reitoria, que se nega reiteradamente a reconhecer a entidade representativa dos docentes das universidades federais do Ceará. O documento elenca os diversos problemas e as inúmeras inconsistências do PPE aprovado, ilegitimamente, no último dia 2.

O sindicato também reforçou ao MPF a necessidade de fiscalização das condições sanitárias na universidade para retomada de atividades presenciais, sejam elas  administrativas ou acadêmicas.

A petição trata ainda do problema da inclusão digital, considerada pelos docentes bastante limitada e ineficaz. Neste sentido, foram anexados ao documento pesquisas que chegaram à ADUFC, realizadas pela comunidade acadêmica (CAs, centros, unidades) e que não foram levadas em consideração no processo antidemocrático de construção do PPE. Ao MPF, também foi solicitada a atuação no processo atualmente centralizado e burocratizado para entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) na universidade.

O sindicato vai reunir seu Conselho de Representantes para avaliar o indicativo de greve. Estão previstas reuniões nas unidades acadêmicas e a elaboração de propostas alternativas ao PPE, além de apresentação de um plano de semestre não obrigatório e suplementar.

Na semana passada, o presidente da ADUFC, Bruno Rocha, falou à Apufsc sobre as dificuldades enfrentadas pela entidade na relação com a reitoria, comandada pelo interventor Cândido Albuquerque. 

O sindicato estuda abrir um canal virtual para o recebimento de relatos e/ou denúncias. A ideia é que a categoria comunique situações que possam representar risco à segurança da comunidade universitária. Os relatos serão analisados pelo setor jurídico do sindicato para embasar a proposição de ações que possam garantir a integridade física, mental e estrutural dos/das docentes.

Leia na íntegra: ADUFC-Sindicato

Compartilhar