Recursos para Pesquisas

Por Valentim da Silva

Em Santa Catarina não dispomos de uma Fapesp com orçamentos bilionários para apoio a pesquisas. Os recursos das agências federais estão minguando. O coronavírus está afetando negativamente até mesmo as disponibilidades orçamentárias de entidades como a USP e a Unicamp e a própria Fapesp. Está na hora de buscar recursos em outras fontes.

 Bill e Melinda Gates destinaram parte do patrimônio familiar a uma fundação que apoia ações em áreas que o casal considera importantes para a humanidade, como é o caso da malária. O empresário Jorge Lemann também destinou parte de sua fortuna para apoiar atividades na área de educação.

 Este também é o caso de John Templeton que foi muito bem sucedido na área financeira. Em 1987 criou a fundação com seu nome que dirigiu até perto de sua morte em 2008. Atualmente sua neta dirige a entidade seguindo os propósitos de seu avô. Esta fundação apoia pesquisas em física, genética, psicologia, filosofia, ciências sociais e teologia.

A fundação John Templeton (FJT) confere anualmente um prêmio em valor financeiro superior ao Nobel para pessoas de destaque internacional em religiões e ciência. Entre os agraciados estão madre Teresa de Calcutá e o Dalai Lama. Em 2019 o físico e cosmólogo brasileiro Marcelo Gleiser, que se considera agnóstico, recebeu essa premiação.

Até 31/12/2018 a FJT havia alocado 1,5 bilhão de dólares para apoiar 3417 projetos em 195 países.  O montante da dotação da fundação, para apoios a projetos,  nesta data era de 2,8 bilhões de dólares. Dos projetos contemplados, 82% foram desenvolvidos na América do Norte. A Europa ficou com 14%, a Ásia com 2% e a América do Sul conseguiu apenas 0,4%. Atualmente há uma priorização na FJT de projetos oriundos da América do Sul.

As áreas atualmente financiadas são:

1) Ciência e as grandes perguntas, incluindo ciências naturais, ciências humanas, filosofia e engajamento público;

2) Desenvolvimento de virtudes de caráter;

3) Liberdade individual e livre mercado;

4) Talento cognitivo excepcional e genialidade;

5) Abordagens inovadoras e não convencionais em genética;

6) Planejamento familiar voluntário.

O processo de solicitação do apoio financeiro é realizado em duas etapas. Na primeira deve ser colocada a ideia principal do projeto. A missão, a visão e os impactos esperados, que estão descritos no site da FJT, são utilizados para analisar o enquadramento do projeto. Os selecionados são convidados a apresentar o projeto completo para aprovação.

 Os projetos de solicitação de apoio financeiro são classificados em pequenos, com demandas até 234.800 dólares, e grandes para valores superiores. Para projetos considerados pequenos, a data limite neste ano para solicitação é 14/08/20. Propostas recebidas antes desta data podem ser processadas com antecedência, apressando a resposta da primeira etapa. É conveniente que o início do projeto proposto seja agendado a partir de março do ano seguinte para dar tempo das análises da segunda etapa. 

 Na Wikipedia, estão listados os dez maiores projetos aprovados em 2018, com valores alocados pela FJT que variam de 2,6 a 6,1 milhões de dólares. Em 2016, esta fundação contribuiu com mais de sete milhões de dólares para a “Black Hole Iniciative”, um programa interdisciplinar da universidade de Harvard focado no estudo dos buracos negros. Neste mesmo ano a FJT desembolsou mais de 151 milhões de dólares em apoio a projetos. Em 2019, a FJT aprovou um conjunto de projetos de mais de sete milhões de dólares para examinar “how the human brain enables conscious control of decisions and actions”.

Pessoalmente já fiz duas tentativas, sem sucesso, de solicitação de recursos para a FJT. Estou preparando a terceira proposta.

Professor aposentado

Os artigos publicados nesta seção não refletem necessariamente a opinião da diretoria e/ou dos filiados da Apufsc.

Compartilhar