DCE e reitoria discutem questões de permanência e o retorno às aulas

Estudantes relatam problemas na primeira semana de aulas remotas

Após mais de cinco meses sem atividades docentes oficiais, e cerca de um mês de preparação para a nova realidade imposta pela pandemia de Covid-19, os estudantes de graduação e pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina retornaram às aulas na última segunda-feira, 31 de agosto, em regime remoto. Mesmo com as medidas elaboradas pelo Comitê de Combate à Covid-19, que pretendem contemplar todos os estudantes e garantir acessibilidade e permanência na universidade durante esse período atípico, muitos estudantes estão enfrentando problemas já nesta primeira semana, como afirma o Diretório Central dos Estudantes Luís Travassos (DCE). 

Para debater e tornar públicas essas demandas, a entidade de representação estudantil solicitou uma Audiência Pública com a Administração Central, que ocorrerá nesta sexta-feira, 4, de forma online. Também está prevista a participação, além do DCE e da reitoria, da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE), Pró-reitoria de Graduação (Prograd) e da Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplan). A audiência está marcada para as 17h30, com transmissão pelo Youtube. 

Alguns dos problemas relatados pelos estudantes são o não recebimento do auxílio internet, a falta de computadores para empréstimo àqueles que se inscreveram para recebê-los e problemas de acesso à plataforma do Moodle. Um exemplo de falta de acessibilidade relatado por um membro da atual gestão do DCE, é dos estudantes que estão solicitando agora para participar dos programas de inclusão digital, mas que não fizeram o pré-cadastro até 14 de agosto. “Supostamente o edital tinha o objetivo apenas de quantificar a demanda, sem prazo limite, mas agora aparecem os editais dos programas exigindo que os estudantes tenham se inscrito no pré-cadastro até dia 14, criando um prazo que surpreende e exclui”, declara Cauê Baasch de Souza, membro da coordenação geral do DCE.

Em nota divulgada pelo G1, a UFSC disse que mesmo com os esforços, ainda há estudantes sem computadores por dois motivos: a distribuição depende da disponibilidade dos centros de ensino e dos alunos irem buscar. De acordo com a universidade, há centenas de estudantes que ainda não foram buscar os equipamentos. Para o DCE, a questão é o despreparo. “Mesmo com todo esse tempo ainda há um grande despreparo. A Administração parece estar delegando às unidades de ensino a responsabilidade de emprestar computadores a quem vai precisar e, com pouca orientação”. 

A transmissão será feita pelo canal do Youtube do DCE, neste link.

Imprensa Apufsc

Compartilhar