Professores da UFPB fazem nova paralisação contra reitor nomeado por Bolsonaro

Docentes suspenderam as atividades nesta quinta-feira e fizeram ato virtual em protesto

Professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) paralisaram as atividades novamente nesta quinta-feira (26), contra a intervenção e em defesa da autonomia universitária. As ações são um protesto após o novo reitor Valdiney Veloso Gouveia ter sido nomeado pelo presidente da República Jair Bolsonaro, mesmo tendo sido o menos votado na consulta pública da instituição. Esta é a segunda paralisação de docentes, após decisão do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba (AdufPB) no dia 20 de novembro. O primeiro ato foi realizado no dia 18.

Além da paralisação desta quinta-feira, foi prevista uma aula pública virtual, por meio do canal da AdufPB no YouTube. A atividade começou por volta das 9h e, segundo a AdufPB, teve previsão de encerramento às 21h, com cerca de 12 horas de programação.

Tanto a paralisação quanto a aula pública foram deliberações da última assembleia docente, realizada no dia 20 de novembro. Elas fazem parte do conjunto de ações e atividades que estão sendo desenvolvidas na UFPB contra a intervenção do governo Bolsonaro na administração da universidade, desrespeitando o resultado da consulta pública ocorrida em agosto e da votação do Colégio Eleitoral. 

Na primeira paralisação, realizada no dia 18, professores, servidores, estudantes e entidades do movimento estudantil realizaram um ato público, na Praça da Paz, no bairro dos Bancários, em João Pessoa. O ato começou às 16h da quarta-feira (18) e acabou por volta das 19h. Manifestantes fizeram uma caminhada até a UFPB e se concentraram em frente à Reitoria. Representantes do Levante Popular da Juventude e da União Nacional dos Estudantes também estiveram presentes.

Com informações da AdufPB e do G1.

Compartilhar