Servidores da UFSC participam de testes em ação de combate à Covid-19

UFSC e Prefeitura de Florianópolis realizaram testagem de trabalhadores que estão atuando presencialmente na universidade

Em iniciativa do DAS/PRODEGESP da UFSC e da Prefeitura de Florianópolis, foram realizados 266 testes do tipo PCR no campus de Florianópolis da universidade. A ação, promovida entre os dias 6 e 8 de janeiro, tem como objetivo conter o avanço da pandemia. Os testes foram oferecidos pelo laboratório BiomeHub.

Professor Alexandre Verzani Nogueira realiza testagem
Professor Alexandre Verzani Nogueira participa de teste PCR, em ação realizada na universidade (Foto: CCB/ UFSC).

O professor Alexandre Verzani Nogueira, diretor do Centro de Ciências Biológicas (CCB), esteve os que passaram pelo teste na UFSC. “Quanto mais testagens, melhor. Considero a campanha muito importante”, afirma ele, destacando ainda que a universidade vem atuando em diversas frentes de combate ao coronavírus, promovendo pesquisas e análises.

O diretor da Divisão de Saúde e Segurança do Trabalho da UFSC, Paulo Botelho, explica que, dos 266 testados, foram identificados sete contaminados assintomáticos, que foram afastados das atividades presenciais. A ideia também é fazer o rastreio para identificar a data e o período do contágio, orientando eventuais contatos que o paciente possa ter tido. Já o laboratório Biome-hub irá notificar a Vigilância Epidemiológica de Florianópolis, como tem ocorrido desde o início da pandemia, segundo a supervisora de operações externas na Biome, Elaine Manini.

Uma segunda etapa da ação na UFSC está sendo planejada, para atender os servidores dos campi do interior do estado. A ampla testagem da população é recomendada pela Organização Mundial de Saúde como forma de enfrentamento da disseminação da doença.

A UFSC está com as atividades presenciais suspensas desde março de 2020, quando a pandemia começou a se agravar no país. Setores como vigilância e zeladoria, entretanto, realizam suas atividades presencialmente. Há pesquisas que também precisam dos espaços da universidade e dos equipamentos laboratoriais.

Com informações do CCB-UFSC e Agecom.

Compartilhar