E continuamos com o tema divisionista!

Por Nestor Roqueiro*

Parece que não nos cansamos de brigar internamente. Os partidários do andes e proifes insistem em nos apresentar as bondades de cada um, lembrando de um passado que se remonta, ao menos, aos tempos de Dilma. É claro!!! Não fizeram nada desde então a não ser brigar internamente em Florianópolis. 

Colegas, assim como dissemos não para a dissolução da Apufsc e incorporação ao andes, precisamos dizer não à filiação ao proifes. Isto se formos honestos. 

A categoria não se importa com a filiação nacional. Para a classe, este tema não interessa. Todos sabemos que sem participação da categoria não vamos a lugar nenhum.

Nem os defensores do andes nem os do proifes apresentaram qualquer proposta de mobilização docente. E das duas, uma: ou não fazem a mais mínima ideia do que fazer para mobilizar a categoria, ou querem continuar a participar de grupelhos de cúpula para negociatas. Sim, negociatas, pois sem a participação da categoria, sem saber o que a categoria quer, sem sequer querer perguntar, a única coisa que me vem à cabeça é uma negociação fajuta que serve somente para que os “dirigentes” acertem algo do seu próprio interesse. 

Se, por acaso, tivermos um segundo mandato presidencial deste que esta aí, o proifes vai ser tão útil quanto o foi nos últimos anos depois do mandato da Dilma. Vai fazer é nada, pois não sabe fazer outra coisa que negociar, e com este governo NÃO HÁ NEGOCIAÇÃO POSSÍVEL (e até as pedras portuguesas da praça da Reitoria sabiam disso).

Precisamos dar um BASTA ao uso da Apufsc para interesses espúrios. Precisamos ser honestos e dizer não à filiação ao proifes. Precisamos ser responsáveis e nos engajar na luta sindical, e para isto a nossa organização Apufsc-Sindical é suficiente.   

Não ao andes e não ao proifes. 

VAMOS TRATAR DE SALÁRIO!!!

*Professor do Departamento de Automação e Sistemas (DAS/CTC/UFSC)

Compartilhar