Vélez reforça presença de “olavistas” no ministério

Na tentativa de se manter no cargo, o ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez reforçou a presença do grupo mais ideológico em seu gabinete, segundo a Folha de S. Paulo. Ele nomeou nesta quinta-feira (28) como assessores o economista Murilo Resende, aluno do escritor Olavo de Carvalho, e o professor Ricardo Costa, próximo dos olavistas. 

Resende assume posto similar ao desocupado por alunos de Olavo no início de março, fato que desencadeou a crise atual de disputas no MEC. Ao atingir olavistas dentro do MEC, o ministro passou a ser atacado e teve de demitir auxiliares próximos para atender a pressão que chegou até Bolsonaro.

Nomeado em janeiro para uma diretoria do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) responsável pelo Enem, Resende não chegou a ficar no cargo. No entanto, ele não saiu do MEC: desde então era assessor da Secretaria de Educação Superior e despachava em sala dentro do Inep. Defensor do movimento Escola Sem Partido e crítico da chamada “ideologia de gênero”, Resende chegou a chamar os professores brasileiros de “manipuladores” que não querem “estudar de verdade” ao participar de uma audiência pública do Ministério Público Federal de Goiás em 2016.

Ricardo Costa foi nomeado como assessor especial do ministro. Professor da Universidade Federal do Espírito Santo e estudioso da idade média, Costa é admirador de Olavo.

Leia Mais: Folha 

Compartilhar