Acadêmicos do exterior assinam manifestos contra medidas de Bolsonaro

Pesquisadores europeus e americanos reagiram ao anúncio do governo brasileiro sobre redução de verbas  para os cursos de  filosofia e sociologia

 

A anunciada redução de recursos  para as faculdades de filosofia e sociologia  motivou abaixo-assinados de acadêmicos da Europa e dos Estados Unidos. Na última  segunda-feira (6), na edição digital do jornal francês Le Monde, foi divulgado um texto que tem entre  os signatários a norte-americana Judith Butler, pensadora feminista que já esteve no Brasil.

 

Outro manifesto,  iderado por acadêmicos da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos,  já tem mais de  13,8 mil signatários, incluindo representantes do Brasil. O texto critica medidas de Jair Bolsonaro na área de Educação e pede que o governo reconsidere suas ações. “Nós nos opomos à tentativa do presidente Bolsonaro de desinvestir na Sociologia, ou em qualquer outro programa nas Ciências Humanas ou Sociais.” 

 

Ambos os  manifestos respondem às publicações feitas por de Bolsonaro no Twitter no dia último dia 26, que indicavam uma “descentralização” de investimentos nessas áreas.

 

Leia: O Estado de São Paulo


 

Compartilhar