Google Suite e Office 365 disponíveis para estudantes e servidores da UFSC

As secretarias de Educação a Distância (Sead) e de Assuntos Institucionais (Seai) elaboraram  uma cartilha para os docentes, com dicas e informações para o ensino remoto, que inicia nesta segunda-feira (31)

Ferramentas do Google e da Microsoft estão à disposição de estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na fase final de preparação para a volta às aulas, que ocorre nesta segunda-feira, 31 de agosto, de forma não presencial. A UFSC irá adotar um modelo híbrido de nuvem, com soluções das duas empresas que também estarão disponíveis para servidores da instituição.

O pacote de serviços do Google, chamado de G-Suite for Education, inclui serviços como o Drive (com armazenamento ilimitado), Meet, Agenda, YouTube, entre outros (Gmail e Classroom estão desabilitados) para quem tem vínculo ativo de estudante ou servidor. As credenciais dos usuários podem ser ativadas pelo idUFSC, em idufsc.ufsc.br > Parcerias > Google. Depois de habilitado, o usuário pode  acessar google.ufsc.br para acessar o serviço, ou em uma página do Google “Gerenciar sua Conta Google” e adicionar mais uma conta. Após o fim do vínculo, com a UFSC, o usuário perde acesso à conta.

Da mesma forma, o pacote Office 365 Student pode ser acessado pelo idUFSC, em idufsc.ufsc.br > Parcerias > Microsoft. A parceria permite o uso dos recursos de Office Online (Word, Excel, Power Point, Teams, entre outros), 1TB de espaço disponível no OneDrive, acesso ao Skype For Business e demais ferramentas disponíveis no link abaixo.

A utilização de serviços em nuvem, explica o secretário de Planejamento e Orçamento da UFSC, Fernando Richartz, traz uma “série de benefícios, como grande disponibilidade de recursos, confiabilidade, baixo custo, entre outros. Das opções de computação em nuvem, a proposta da UFSC é adotar um modelo híbrido, permitindo incorporar as soluções de grandes empresas como Google e Microsoft, disponibilizando para a comunidade universitária todas as soluções que tendem a melhorar as condições tecnológicas de ensino e aprendizagem, bem como atividades administrativas, mas, sem deixar de manter uma estrutura própria, garantindo assim, maior segurança para todo o processo”.

A UFSC investiu R$ 900 mil em equipamentos de armazenamento e segurança, para garantir a capacidade de atendimento pleno das necessidades para o ensino remoto. “Contar com serviços de vídeo como Meet ou Teams, bem como seus serviços de streaming e de gravação de arquivos, é uma alternativa interessante que estará à disposição de todos. Assim, o docente poderá, de acordo com a necessidade de sua disciplina, utilizar a ferramenta que melhor se adeque. Da mesma forma, estudantes terão à disposição ferramentas que já estão habituados a utilizar com suas contas pessoais da Google e da Microsoft, otimizando assim a curva de aprendizagem”, explica Richartz. Ele destaca que “estamos aderindo a programas acadêmicos, tanto de Google quanto Microsoft, que entregam o serviço com garantias de privacidade e segurança aos dados da instituição”.

Dicas para docentes

A secretaria de Educação a Distância (Sead) da UFSC desenvolveu diversas alternativas para os docentes com dicas e informações para as atividades não presenciais, no site Recursos Tecnológicos de Aprendizagem (RTA). Desde o início da pandemia, a Sead disponibilizou recursos para promover o modelo de aprendizagem a distância e criou também a página dos RTAs, com e-books, cursos, vídeos, tutoriais, artigos, dicas e listas de programas e sites que podem ajudar na capacitação para a educação na modalidade não presencial.

Uma cartilha destinada especialmente aos docentes, na preparação de atividades pedagógicas não presenciais, também foi elaborada. O material aborda desde os primeiros passos para inserção de aulas no contexto não presencial até as questões de direito autoral, passando por dicas, melhores recursos tecnológicos e elaboração de matriz instrucional. A cartilha contou com a parceria da Secretaria de Assuntos Institucionais (Seai) e pode ser acessada no link.

O secretário da Sead, Luciano Patrício Souza de Castro, afirma que “a procura é grande, com professores buscando informações e também contribuindo para o nosso repositório (RTA). Será um grande desafio para todos. A colaboração nesse processo vai ser fundamental. Será um processo de construção conjunto”.

Fonte: Agecom

Compartilhar