SC tem mais 32,8 mil casos de Covid-19 confirmados após falha em sistema ser identificada pelo governo

Novo número chega a 179 mil diagnosticados; diferença entre casos de coronavírus registrados por municípios e o que era divulgado pelo Estado foi constatada durante ‘garimpagem’ no sistema estadual

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina identificou problemas na base de dados estadual e uma diferença entre o número de casos de coronavírus e o que era divulgado nos relatórios: são 32,8 mil casos a mais da doença, confirmou a Superintendência de Vigilância em Saúde do estado em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina desta segunda-feira (31).

Os novos números atualizados devem ser divulgados oficialmente ainda nesta segunda com total que passa de 179 mil casos de Covid-19 desde o início da pandemia.

O sistema estadual descartava casos cadastrados pelas prefeituras quando identificava divergência de informações. A falha foi identificada após uma revisão por causa de relatos feitos pelos municípios sobre a diferença entre os casos registrados nas cidades e o que era contabilizado pelo Estado.

A atualização da base de dados não altera o número de mortes, segundo a superintendência do órgão, Raquel Bitencourt. Até então, Santa Catarina tem 146.864 casos de coronavírus, com 2.235 mortes, segundo o boletim divulgado no domingo (30). “Fizemos uma garimpagem limpando as diferenças e incluindo esses dados que os municípios tinham inserido e finalmente chegamos a esse número de 32.872 casos a mais ao longo dos meses da pandemia”, afirmou.

Segundo a superintendência do órgão, no sistema ocorria a exclusão automática quando identificava formas diferentes de diagnóstico de Covid-19 ou divergência de dados.

“Buscando esclarecer onde estava o ponto de discordância percebemos dois problemas grandes na nossa base de dados: havia casos que possuíam mais de uma notificação, com critérios de confirmação diferentes, então eram casos descartados pelo nosso sistema pela divergência de informações. E também a plataforma ‘SC Digital’ recebe informação de todos os testes realizados para Covid cujo resultado é positivo, seja biologia molecular ou teste rápido, e essas informações são transferidas para uma planilha e tinham resultados não inseridos de forma padronizada, então também eram descartados”, detalhou Raquel.

Falha não altera número de mortes

De acordo com a superintendente de Saúde, como o número de mortes é menor que o de casos confirmados, há uma equipe verificando todos os registro de óbitos por Covid-19. Quando há dúvidas em relação a alguma morte confirmada pela doença, o dado não é lançado no sistema até que seja verificada a divergência. Com isso, essa falha que aumentou em 32 mil o número de diagnosticados no estado não altera a contabilização de pessoas que morreram.

“Já o número de casos é muito alto. As farmácias notificam, os hospitais notificam, as prefeituras notificam, então são várias entradas de notificação de casos confirmados”, justifica Raquel.

Ainda segundo ela, a curva do coronavírus em Santa Catarina também não muda com a atualização, pois são casos registrados desde abril em diferentes cidades catarinenses, não detalhadas pela superintendente. Todos os 295 municípios do estado têm ao menos um caso da doença e Joinville continua sendo a cidade com mais diagnosticados. “Começamos a perceber um leve declínio no número de casos, um decréscimo muito suave, o que não quer dizer que devamos relaxar nos cuidados”, afirma Raquel, em relação ao número diário de mortes divulgados.

Sistema ajustado

A superintendente reforçou que os sistema foi ajustado para que não ocorra outras falhas e que a população deve continuar com os cuidados de isolamento social e uso de máscaras. “Estamos fazendo esses ajustes diários com o Ciasc [Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina] para que não se repita mais essa falha. […] É bastante complexo o ajuste, foi feito um trabalho quase que manual no sistema para não perdemos informações”, disse Raquel.

Mapa de risco

Cinco regiões de Santa Catarina permanecem em risco gravíssimo para Covid-19 e outras 11 são consideradas em situação grave, de acordo com o mapa de monitoramento do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes), da Secretaria de Estado da Saúde. O monitoramento é realizado a cada sete dias pelo governo estadual.

Segundo a superintendência, nos próximos meses é possível que as regiões não estejam mais nos riscos graves e gravíssimos, nas cores vermelhas e alaranjadas no mapa de risco estadual. “A gente vislumbra o amarelo mais para o fim do ano”, disse.

A Secretaria de Estado da Saúde passou a divulgar desde terça (25) um detalhamento online dos óbitos por cidade. Dos 1.472 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública em Santa Catarina, 1.041 estão ocupados, sendo 426 por pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19, segundo os dados divulgados pelo governo na noite de domingo (30).

Fonte: G1

Compartilhar