Ideb 2019: SC melhora nota no ensino médio, mas recua no ensino fundamental

Estado repetiu desempenho nos anos iniciais e teve queda nos anos finais, enquanto ensino médio deu sinais de reação

Maior trunfo de Santa Catarina nas últimas duas décadas, o desempenho do ensino fundamental deixou um pouco a desejar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019, divulgado na manhã desta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), ligado ao Ministério da Educação. Em contrapartida, o ensino médio melhorou a nota e dá sinais de reação no Estado.

O Ideb é o principal indicador de avaliação da educação básica no Brasil e considera a nota obtida pelos alunos nas provas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica, aplicadas a cada dois anos, e nos índices de aprovação das turmas.

Anos iniciais do ensino fundamental: estagnação

Nos anos iniciais do ensino fundamental (1º a 5º ano), o Ideb de Santa Catarina foi de 6,5 na média geral, considerando escolas da rede pública e privada. Empatado com com Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal, o Estado tem a segunda melhor nota do país e repete o conceito obtido em 2017. Santa Catarina atinge em 2019 exatamente a meta proposta pelo Ministério da Educação quando criou o índice, em 2005.

Quando consideradas apenas as escolas públicas, a nota de Santa Catarina foi de 6,3. Empatado com Minas Gerais e Ceará, o Estado registrou a terceira melhor nota, a mesma obtida na avaliação de 2017. Entretanto, em comparação com aquele ano, o Estado caiu uma posição no ranking.

Ao olhar apenas as redes estaduais, o Ideb 2019 dos anos iniciais de SC foi de 5,9, apenas a 8ª melhor do país. O Estado teve redução de 0,1 ponto na nota em relação a 2017 e caiu uma posição no ranking.

O Inep ainda não divulgou detalhes das notas para as redes municipais, que nessa etapa de ensino é responsável pela maior parte dos alunos de Santa Catarina. Mas o órgão adianta que das 262 cidades avaliadas, 192 obtiveram nota acima de 6,0.

Anos finais do ensino fundamental: nota cai e se iguala a 2015

Nos anos finais do ensino fundamental, Santa Catarina obteve a nota 5,1 na média geral, que compreende redes pública e privada, mas ficou longe de cumprir a meta de 6,0 projetada para 2019. SC está em 4º lugar, empatada o com Distrito Federal. O Estado recuou duas posições em relação a 2017. Em 2015, nessa mesma etapa, chegou a ficar em primeiro no país.

A nota do Ideb 2019 recuou 0,1 em relação a 2017 e alcançou o mesmo patamar atingido em 2015. Santa Catarina e Mato Grosso foram os únicos que pioraram a nota nessa etapa.

Somente entre as escolas públicas, a nota do Ideb foi de 4,9 em 2019 no Estado. Foi o terceiro melhor índice do país. Ainda assim, Santa Catarina caiu uma posição em relação a 2017. A nota mais recente também se igualou a 2015, quando o Estado era líder nessa etapa. Santa Catarina também ficou longe de alcançar a meta projetada para as públicas, que era de 5,8.

Já na rede estadual, a nota foi de 4,5. Empatado com Maranhão e Mato Grosso, obteve o 6ª melhor índice. A nota piorou em relação a 2017 e 2015. Em 2011, foi o primeiro colocado.

Entre as redes municipais, Santa Catarina, Paraná e São Paulo se destacaram por terem mais de 35% das escolas avaliadas com Ideb igual ou superior a 5,5.

Ensino médio: melhor nota em oito anos

Apesar de ter caído posições no ranking de melhores notas em relação a 2017, é no ensino médio que o Estado demonstrou avanço mais significativo no Ideb 2019.

A média geral das redes pública e privada foi de 4,2 no ensino médio, a sétima melhor no país, embora tenha caído três posições em relação a 2017. Santa Catarina ainda está bem abaixo da meta, que era de 5,4.

O resultado de 2019 é o melhor desde 2011, quando SC liderava essa etapa no país e tinha atingido 4,3. Naquela época, no entanto, o Ideb do ensino médio era por amostragem, ou seja, apenas algumas escolas participavam. Desde a edição de 2017, passou a avaliar todas as escolas públicas.

Na rede estadual, a nota foi de 3,8. Foi 0,2 ponto a mais do que o registrado em 2017, mas ainda está abaixo do índice alcançado em 2011 (4), ano em que ficou em primeiro no ranking. A nota da rede estadual obtida no Ideb 2019 foi a nona melhor do país, três posições abaixo da alcançada em 2017.

Já o Ideb das escolas privadas, avaliadas por amostragem, foi de 6,2.

Resultados por escolas: 71% na maior faixa de avaliação

Nas escolas das redes municipais, que respondem por 83,7% das matrículas públicas dos anos iniciais do ensino fundamental, a grande maioria das escolas de SC tem nota acima de 6,0 – o maior intervalo da avaliação e que supera a média nacional.

Das 1.191 escolas de SC que tiveram Ideb calculado em 2019, 782 estão nessa faixa de nota igual ou superior a 6,0, o que equivale a 71,2% do total. O Estado teve ainda 308 escolas com nota de 5,0 a 5,9 (25,9%) e 38 unidades de ensino municipais com avaliação de 3,8 a 4,9 (o correspondente a 2,9% do total). Uma única escola teve avaliação inferior a 3,7 no Ideb 2019 dos anos iniciais.

Notas mais baixas nos anos finais e ensino médio

Já nos anos finais do ensino fundamental Santa Catarina teve 583 escolas da rede municipal avaliadas no Ideb 2019. Desse número, há uma divisão em dois grandes grupos, com notas de 4,5 a 5,4 (252 escolas, 43,2%) e acima de 5,5 (265 escolas, 45,5%). Um grupo menor, de 61 escolas (10,5%), teve notas em uma faixa de nota mais baixa, de 3,5 a 4,4, e cinco escolas catarinenses ficaram abaixo de 3,4 no Ideb 2019 (0,9%). Na média nacional, mais de 70% das escolas ficaram entre as duas faixas intermediárias, com notas de 3,5 a 5,4.

No ensino médio, onde há um predomínio das escolas estaduais com 97% das matrículas públicas do país, Santa Catarina teve 210 escolas da rede estadual avaliadas no Ideb 2019. O maior grupo recebeu notas de 4,2 a 5,1. Foram 107 escolas catarinenses nesta faixa de avaliação, 51% do total. Apenas 15 escolas, ou 7,1% do total, ficaram acima deste intervalo, com notas acima de 5,2. Por outro lado, 80 unidades escolares estaduais de SC (38,1%) tiveram rendimento pior, com avaliações de 3,2 a 4,1. Oito escolas tiveram nota abaixo de 3,2.

No Brasil, mais de 80% das escolas avaliadas ficaram entre os grupos com notas de 3,2 a 4,1 e de 4,2 a 5,1.

Brasil manteve melhora no ensino fundamental

A análise no cenário nacional mostra que o Brasil voltou a registrar crescimento na nota geral do Ideb no resultado de 2019. A avaliação nacional dos anos iniciais do ensino fundamental, considerando todas as redes de ensino, foi de 5,9, um décimo a mais do que o Ideb de 2017, quando o país teve nota de 5,8 nos anos iniciais.

A nota de 5,9 nesta etapa de ensino foi dois décimos maior do que a meta estabelecida para o país neste ano, que era de 5,7. Com essa nota, o país registra o sétimo crescimento consecutivo desde o início do Ideb, em 2005.

Um dos destaques apontados pelo Inep é o fato de que nove estados do país alcançaram um Ideb maior ou igual a 6,0: São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. Nesta fase de ensino, quatro Estados não atingiram a meta prevista para o Ideb 2019: Amapá, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. O melhor desempenho ficou com São Paulo, com nota 6,7.

Vinte estados não atingiram meta nos anos finais

Entre os anos finais do ensino fundamental a nota do Brasil no Ideb também subiu. Passou de 4,7 em 2017 para 4,9 em 2019. No entanto, nesta etapa de ensino o resultado ainda ficou abaixo da meta prevista para o país na avaliação deste exame, que era de 5,2. O desempenho repete o ocorrido em Santa Catarina e em outros 19 estados, onde a meta dos anos finais também não foi alcançada. Nesta etapa de ensino, os destaques do país foram novamente São Paulo, com nota 5,5, e Ceará, com 5,4.

Quando analisada apenas a rede pública, o Ideb do Brasil é 0,3 ponto inferior nos anos finais do ensino fundamental. Mesmo sem alcançar a meta de 2019, o país mantém uma trajetória de crescimento a cada ano na nota do Ideb desde 2005, assim como nos anos iniciais.

Maior alta da história no ensino médio

Por fim, no ensino médio o Brasil deu o maior salto desde a criação do Ideb, passando de 3,8 para 4,2 somente entre 2017 e 2019. Em todos os outros anos o país crescia apenas 0,1 ponto nesta etapa de ensino.

Mesmo com esta alta, o país ainda está distante da meta apontada para o Ideb 2019, que seria de 5,0. O ensino médio é onde o país historicamente tem as maiores dificuldades para obter melhora nas avaliações.

Nesta etapa de ensino, somente Goiás atingiu a meta prevista para a avaliação deste ano. Os outros Estados, incluindo Santa Catarina, ficaram aquém do projetado. Espírito Santo e Goiás foram os estados com melhor desempenho no país no ensino médio, com notas 4,8.

Fonte: NSC

Compartilhar