Sócia do ministro Marcos Pontes nomeada para cargo de confiança já acumula mais de 260 mil reais em diárias

Por integrar a comitiva do ministro em missão oficial à França, Áustria, Emirados Árabes, Catar e Suíça, na segunda quinzena de junho de 2019, a assessora recebeu 52,4 mil reais em diárias

A oportunidade de ver com os próprios olhos que a Terra é redonda, num passeio até a estratosfera, é uma das experiências que a Marcos Pontes Aventuras Incríveis, agência de turismo do ministro-astronauta, oferece a bordo de um caça supersônico MIG-29 na Rússia. Quem se dispuser a pagar 33,3 mil dólares pelo voo de 45 minutos terá direito, segundo documento sobre opções de pacotes de viagens, a um “briefing” do ministro da Ciência e Tecnologia e a um certificado assinado por ele. A passagem aérea para a Rússia não está incluída no preço.

Marcos Pontes continua sócio da agência de turismo de aventuras e da Portally Serviços e Comércio de Artigos Diversos, duas empresas que integram uma rede maior de CNPJs montada em torno da fama do primeiro brasileiro a ir ao espaço. Pontes também levou sua sócia, Christiane Gonçalves Corrêa, para a equipe do ministério. Só em diárias para acompanhar o ministro em viagens de trabalho, pagas a Christiane Corrêa pelo contribuinte, o Portal da Transparência registrava, até 23 de outubro, gastos de 266,6 mil reais.

A presença de Christiane Corrêa ao lado de Pontes é constante. Mesmo sem ser fluente em inglês ou espanhol, segundo informa seu currículo acadêmico na plataforma Lattes, a sócia fez companhia ao chefe em viagens aos Estados Unidos, Índia, China, Israel e Espanha. Também visitou a Antártica, em julho de 2019.

Inicialmente nomeada assessora especial do ministro, Christiane foi promovida em 11 de setembro deste ano a secretária de Articulação e Promoção da Ciência  – cargo de confiança nível seis, o mais alto no governo federal, com direito a salário de 16.944,90 reais. Essa secretaria não existia até então. 

Um decreto editado por Bolsonaro exige, nas nomeações para os níveis mais altos de cargos de confiança, experiência mínima de cinco anos em atividade correlata ou três anos em outro cargo de confiança, ou, ainda, mestrado ou doutorado. A sócia do ministro é graduada em Comunicação Social e habilitada a exercer a atividade de relações públicas. 

Questionada sobre qual dos requisitos mínimos para ocupar o cargo ela preenchia, Christiane não respondeu à piauí. Consultada, a Controladoria Geral da União (CGU) informou que não deve permanecer no cargo em comissão ou função de confiança pessoa que não preencha os requisitos definidos no decreto 9.727, de 2019. A nomeação foi assinada pelo chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto.

Leia na íntegra: Piauí

Compartilhar