Queda do presidente do Inep foi motivada por discussão de gênero no Enem

Segundo a revista Veja, exoneração de Alexandre Ribeiro Pereira Lopes foi motivada pela insatisfação de Bolsonaro com a abordagem de questões no exame

A demissão do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Ribeiro Pereira Lopes, foi decidida internamente no governo por causa da insatisfação do presidente Jair Bolsonaro com a abordagem de questões de demonstravam a desigualdade entre homens e mulheres em provas como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), porta de entrada para mais de 50 universidade federais. A gota d’água foi a abordagem da diferença salarial entre a maior jogadora de futebol de todos os tempos, a brasileira Marta, e o craque Neymar Jr., o mais importante brasileiro em atividade de futebol. O tema, alvo de uma questão na primeira prova do Enem deste ano, levou a protestos do presidente Jair Bolsonaro, que disse ter considerado “ridícula” a comparação entre os dois atletas.

A apoiadores, Bolsonaro disse que “o futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil” e justificou a desigualdade salarial como questões da “iniciativa privada”. “Não tem que ter comparação. Futebol feminino ainda não é uma realidade no Brasil. O que o Neymar ganha por ano todos os times de futebol juntos no Brasil não faturam por ano. Como que vai pagar para a Marta o mesmo salário? Isso chama-se iniciativa privada. Ela que faz o salário. Ela que mostra para onde o mercado deve ir. Então, [o Enem] faz umas questões absurdas sempre pregando a igualdade, mas por baixo”, disse o presidente na ocasião.

Leia na íntegra: Veja

Compartilhar