Ciência brasileira perde US$ 3,40 por vacina a cada ano

Professora da Escola de Medicina da Unifesp Soraya Smaili e professor da Escola de Filosofia, Ciências Humanas e Letras da mesma instituição Pedro Arantes assinam artigo, no Estado de Minas, em que comentam desvio de verbas com a vacina e falta de investimento em pesquisa

É inimaginável que, diante de uma pandemia que já levou mais de 530 mil vidas, nós brasileiros sejamos contemplados com a notícia de que as poucas vacinas compradas, com sofrimento e muita oposição, podem ter sido objeto de superfaturamento, envolvendo questões éticas, morais e até criminais. Esse cenário desolador pode nos ajudar a lembrar o quanto a ciência brasileira perdeu de recursos em investimento desde 2016. Paralelamente, somos obrigados a tratar da notícia de que há tentativas de lucro, mesmo diante da perda de tantas vidas.

Confira artigo na íntegra em: Estado de Minas

Compartilhar