Delegados federais aderem à greve e mais categorias sinalizam descontentamento

Policiais Civis e servidores do Incra estão descontentes com o andamento das negociações por reajuste. Além dos delegados, mais duas categorias do funcionalismo federal já entraram em greve, destaca o Correio Braziliense

Nesta semana, mais uma categoria se uniu aos servidores do Banco Central e da Receita Federal em paralisação por reajuste. A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) aprovou a greve junto a um pedido de renúncia do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, que também é delegado. 

A decisão pela paralisação dos delegados foi aprovada em assembleia extraordinária realizada na segunda-feira (2/5) e terça-feira (3/5) pela ADPF, após a categoria demonstrar insatisfação com o possível reajuste de 5% uniforme a todos os servidores federais — abaixo das expectativas da categoria que esperavam um número maior com base na reserva de R$ 1,7 bilhão no Orçamento de 2023 e reestruturação de carreiras.

Os policiais civis do Distrito Federal também estão em busca de reajuste. Após encaminhamento do GDF, o caso está nas mãos do Ministério da Economia. Alex Galvão, presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Distrito (Sinpol-DF), explicou que há condições orçamentárias para o reajuste de 10%. “Estamos abaixo dos federais desde 2017. Estamos aguardando manifestação da Economia e no nosso caso o Orçamento comporta. Não está descartado nenhum movimento, como paralisação dependendo do que for negociado. Estamos querendo um empenho do GDF para resolver essa questão”, disse.

Leia na íntegra: Correio Braziliense

Compartilhar