Corte no orçamento para acomodar reajuste de servidores será revisto pelo governo federal, diz jornal

Impasse na distribuição do bloqueio orçamentário entre os ministérios retarda a decisão, afirma o Valor Econômico

Os valores dos cortes no Orçamento de 2022 informados aos ministérios na última sexta-feira, dia 24, serão revistos, segundo fonte do governo federal ouvida nesta quarta-feira, dia 1°, pelo jornal Valor Econômico. Isso se deve aos impasses em torno do reajuste salarial dos servidores públicos, da distribuição dos cortes entre os ministérios e outras questões técnicas.

O “modo exato como será” dividido o bloqueio de R$ 8,2 bilhões confirmado no começo desta semana pela Secretaria-Geral da Presidência “ainda precisa ser discutido”, segundo a fonte. “As decisões e a comunicação delas aos ministérios levarão mais alguns dias.”

Na terça-feira, dia 31, o governo federal publicou decreto oficializando o bloqueio de R$ 8,2 bilhões, valor necessário para acomodar sob o teto de gastos despesas não previstas com o Plano Safra e o pagamento de precatórios. Mas, segundo informações da área técnica, seria realizado um contingenciamento adicional “preventivo” de cerca de R$ 5 bilhões para pagar o reajuste de 5% para os funcionários públicos, caso seja essa a decisão do presidente Jair Bolsonaro (PL). Assim, o bloqueio ficaria próximo de R$ 14 bilhões.

Leia na íntegra: Valor Econômico

Compartilhar