Plano Nacional da Educação Digital é aprovado na Câmara

Diretrizes ainda precisam passar pelo Senado, pela Presidência e por regulamentação

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quinta-feira (4), a lei que institui o Plano Nacional da Educação Digital, que tem como objetivo criar políticas de inclusão e capacitação da população para novas tecnologias.

O texto agora vai ser debatido pelo Senado e, se aprovado, seguirá para análise de sanção ou veto da Presidência. Se for sancionado, o plano ainda precisará ser regulamentado pelo governo antes de ser posto em prática.

A proposta, de autoria da deputada Angela Amin (PP-SC) e relatada pelo deputado Israel Batista (PSB-DF), ainda pode ser alterada durante a tramitação no Congresso.

Pela sua atual redação, o plano seria estruturado em quatro eixos. O da inclusão, “com o objetivo de garantir que toda a população brasileira tenha igual acesso às tecnologias digitais”; o da educação, que visa “garantir a educação digital da população mais jovem, estimulando e reforçando o letramento digital e informacional”; a capacitação, voltado ao ensino técnico; e o da pesquisa científica.

Leia na íntegra em Folha de S. Paulo.

Compartilhar