Apufsc busca alternativas a plano de saúde da UFSC

Reunião que apresentaria proposta aos docentes foi cancelada porque empresa mudou condições e excluiu aposentados do plano; GT continua à procura de opções melhores

Com o objetivo de encontrar alternativas que sacrifiquem menos os docentes e que apresentem um custo-benefício melhor que o plano da Unimed, a Apufsc criou, em agosto, o Grupo de Trabalho Saúde. Após três meses de pesquisa de mercado, em que conversou com as administradoras dos principais planos que atuam em Florianópolis o GT identificou uma proposta que apresentava o melhor custo-benefício aos professores.

Uma reunião havia sido agendada para a última quarta-feira (13) para discustir alternativas ao plano de saúde da UFSC, mas a diretoria da Apufsc optou pelo cancelamento depois de identificar inconsistências na proposta apresentada por uma das empresas, que omitiu informações importantes ao sindicato.

O GT Saúde havia considerado que o melhor custo-benefício para os docentes seria oferecido pela Bem Estar, empresa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), que comercializa os planos da operadora Premium Saúde, de Belo Horinzonte. Contudo, apenas na véspera da reunião que apresentaria a proposta aos professores, a empresa informou que o plano exclui aposentados, pensionistas e cônjuges acima de 65 anos. A condição foi considerada inaceitável pela Apufsc.

Há três meses o Grupo de Trabalho vem buscando alguma alternativa à Unimed, com quem a UFSC vem prorrogando há quase um ano o término do contrato estabelecido em 2014. Na semana passada, a empresa venceu sem qualquer concorrência o pregão eletrônico para escolha da nova operadora. Para os professores com mais de 59 anos, o valor da mensalidade vai dobrar.

A Apufsc entende o drama dos professores, principalmente dos mais velhos, e vai continuar, por meio do Grupo de Trabalho, buscando alternativas melhores para os docentes que o atual contrato.

Compartilhar