Assembleia sobre filiação nacional será no dia 24 de março de 2020

Data foi definida pelo Conselho de Representantes da Apufsc nesta quinta-feira (28), após votação

Em reunião nesta quinta-feira (28), o Conselho de Representantes da Apufsc-Sindical voltou a discutir o processo de filiação nacional do sindicato ao Andes ou ao Proifes. Após votação, ficou definida a realização de uma assembleia no dia 24 de março de 2020 para que os professores decidam a qual das duas entidades querem se filiar.

Outra possibilidade sugerida por alguns conselheiros foi realizar a assembleia ainda em 2019, na segunda quinzena de dezembro, mas a proposta foi descartada pela maioria. Ao todo, 23 docentes participaram da reunião do CR.

Inicialmente, a votação sobre a filiação nacional estava marcada para o dia 10 de setembro, após uma ampla e aprofundada agenda de debates que começou no início deste ano. A assembleia, no entanto, foi adiada, após avaliação do Conselho de Representantes de que o sindicato deveria focar sua atuação nos desafios que a universidade vinha enfrentando, como o bloqueio de recursos e a discussão sobre o Future-se. Também se levou em consideração à época a existência de divergências de interpretação sobre as questões jurídicas envolvidas no processo de filiação – como em relação à destinação do patrimônio e a carta sindical – e a necessidade de esclarecimento sobre elas, o que não poderia ser feito em tão curto prazo.

Em agosto deste ano, a Apufsc criou um Grupo de Trabalho justamente para avaliar essas questões relacionadas à filiação nacional.

Na reunião desta quinta-feira, o GT Saúde apresentou o resultado do estudo de alternativas ao novo plano de saúde da UFSC. O GT, formado por professores e funcionários do sindicato, tentou negociar com as principais operadoras que atuam em Santa Catarina uma proposta que sacrificasse menos os professores da universidade, especialmente os mais velhos. As mensalidades do novo contrato da UFSC com a Unimed, que venceu o pregão no início de novembro, chegam a dobrar de valor para os professores com mais de 59 anos. Depois de entrar em contato com sete operadoras, o GT concluiu que o custo-benefício dos planos que foram oferecidos à Apufsc como alternativa não atende à categoria. O Grupo de Trabalho continuará trabalhando em busca de alternativas.

O GT sobre financiamento das universidades, que tem como objetivo manter a categoria informada sobre o tema, também seguirá em atividade.

Na reunião do CR, o representante dos aposentados, professor Roberto Salum, reclamou por não poder apresentar aos seus representados uma proposta de compra de um hotel para a sede campestre da Apufsc, e a diretoria se comprometeu a encaminhar a questão aos associados quando tiver alternativas viáveis.

Por fim, o CR também iniciou o debate sobre uma política editorial para a lista de discussão da Apufsc, onde tem se registrado diversos excessos e desvios de finalidade, e a questão foi encaminhada para a próxima reunião.

Compartilhar