Plano de saúde da UFSC com a Unimed tem reajuste de 19,35 %

Contrato segue renovado, por acordo da operadora com a Reitoria, devido a atraso na nova licitação

O plano de saúde da UFSC com a Unimed terá um reajuste de 19,35% nas mensalidades a partir deste primeiro de maio. O reajuste ocorre porque, contrariando a expectativa anunciada previamente pela Reitoria,  a nova licitação para a prestação de serviço não foi concluída neste mês de abril. 

Com o final da validade do contrato de 2014 no último mês de março, e o atraso – não explicado – no início da licitação para o que deveria substituí-lo, a Reitoria propôs à Unimed uma prorrogação provisória do mesmo, para não interromper a assistência médica aos 15 mil usuários do plano, até que a situação fosse resolvida. A Unimed propôs então um reajuste de 24,02% porcento para manter o contrato a partir de abril, alegando que o mesmo lhe trazia prejuízo. A proposta da operadora foi recebida com revolta e indignação na comunidade universitária. As direções da Apufsc e do Sintufsc pediram explicações à Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas e consideraram o aumento inaceitável.

A partir dessas manifestações, a Reitoria fez nova negociação com a Unimed e acordou com a empresa a renovação do contrato por até seis meses, com reajuste zero no primeiro mês (abril) e de 19,35% nos meses seguintes (a partir de maio). Na ocasião, o Diretor de Atenção à Saúde da Prodegesp, Paulo Botelho, previu que a nova licitação estaria concluída em abril, livrando os usuários do reajuste no atual contrato prorrogado. Mas não foi o que ocorreu.

O processo licitatório não correu como o esperado pelo Diretor do DAS. A Unimed pediu impugnação do processo licitatório no dia 10 de abril, que foi parcialmente acolhida, com a publicação de uma retificação do Edital no dia 17. Isso retardou o pregão eletrônico inicialmente previsto para o dia 12, mas quando foi finalmente realizado, no dia 23, não houve concorrentes. Ao não se candidatar, a Unimed, que virtualmente detém o monopólio do setor em Santa Catarina, sabia que continuaria prestando o serviço a partir de maio, com a prorrogação do contrato anterior, e a partir de então com o aumento de 19,35% nas mensalidades. Um novo Edital – idêntico ao primeiro, de acordo com a pró-reitora Carla Búrigo – foi então aberto, com novo pregão eletrônico previsto para o dia 8 de maio.  Se novamente não aparecer concorrente, a Unimed segue com o contrato, e com o aumento garantido.

A Diretoria da Apufsc considera que a prestadora de serviço não tem agido da maneira mais correta nesta negociação, e que os negociadores da Reitoria foram talvez demasiado ingênuos ao permitir uma situação em que a empresa impõe como quer condições financeiramente favoráveis a ela própria, contra os interesses dos 15 mil usuários, num contrato que envolve mais de R$ 100 milhões. 

A Apufsc também lamenta o modo como a UFSC tem se relacionado com as operadoras de planos de saúde, sem que haja mais acesso às contas, auditoria constante e uma discussão sobre o lucro que as empresas embutem nos contratos. E vai continuar cobrando da Reitoria a organização de um sistema de autogestão da saúde suplementar, como reivindicou, juntamente com o Sintufsc, na reunião de março – reivindicação ainda sem resposta – de forma a livrar os professores e funcionários da Universidade das imposições das operadoras privadas de planos de saúde.

Leia mais:

Notícia da Apufsc sobre a negociação em 26/3

Comunicado da Reitoria sobre o aumento em 30/4

Nota da Reitoria sobre o acordo com a Unimed em 26/3 

 

 

  

Compartilhar