Frente Parlamentar Mista questiona nomeação do reitor da UFTM

Lutaremos para que essa situação excepcional não se torne regra e para que as próximas nomeações respeitem as decisões da comunidade universitária, diz comunicado da Frente

 

Em nota, a Frente Parlamentar Mista pela Valorização das Universidades Federais lamentou  a decisão do Governo Federal de não acatar a decisão da comunidade acadêmica da Universidade Federal  do Triângulo Mineiro (UFTM) na escolha para reitor da instituição.

A nota ressalta que, na consulta à comunidade acadêmica, realizada ainda no ano passado, “ficou explícita a opinião da comunidade”, pois o professor Fábio Fonseca teve ampla maioria de votos. Depois, essa  escolha foi ratificada na eleição feita no Conselho Universitário. No entanto, no último dia 18, o presidente Jair Bolsonaro nomeou para o cargo de reitor o segundo colocado na lista tríplice, Luiz Resende dos Santos Anjo. 

Não há o que questionar em termos da legalidade na eleição do Professor Fábio Fonseca, argumentam os parlamentares na nota, assinada pelos deputados que fazem parte da coordenação da Frente Parlamentar Mista: Margarida Salomão, Alice Portugal, Edmilson Rodrigues, Túlio Gadelha e Danilo Cabral.

 

“A Frente pela Valorização das Universidades Federais reafirma a defesa intransigente da autonomia universitária e da democracia interna das Universidades Federais e lamenta a posição do governo Bolsonaro em não acatar o resultado da consulta à comunidade acadêmica, através da lista tríplice, que vinha sendo respeitada por governos anteriores desde o governo Fernando Henrique e, religiosamente, nos governos Lula e Dilma.

 

Neste sentido, manifestamos nosso apoio e solidariedade à comunidade universitária da UFTM e ao Professor Fabio Fonseca. Lutaremos para que essa situação excepcional não se torne regra, e que as próximas nomeações respeitem as decisões da comunidade universitária”.


Compartilhar