Reitor da UFG diz que dirigentes não foram avisados de reunião com MEC

Secretário da pasta anunciou encontro através da imprensa

O reitor da Universidade Federal de Goiás e vice-presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Edward Madureira, disse na sexta-feira, 12, que não havia sido avisado da reunião anunciada pelo Ministério da Educação (MEC) para tratar do programa Future-se de reestruturação das universidades federais. 

A informação sobre a reunião foi dada ao Valor pelo secretário de Educação Superior da pasta, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior, que falou em cobrança de mensalidades, fim da contratação por concurso e possibilidade de contratações temporárias.

Ao Jornal Opção, Madureira disse que o governo não havia adiantado nada do que seria discutido. “A Andifes jamais se negou a dialogar. Sempre discutimos em conjunto com os governos e dessa vez só iremos tomar conhecimento no dia da apresentação.”

O reitor da UFG também disse duvidar que o governo proponha cobrança de mensalidades no ensino público. “Afinal de contas está na Constituição que o ensino federal será gratuito, teria, portanto, que haver uma emenda aprovada no Legislativo para mudar isso. Por ora, nós estamos aqui para resistir até o fim”, disse.

O Supremo Tribunal Federal decidiu em 2017 que a gratuidade do ensino público garantida na Constituição vale para graduação, mestrado e doutorado. As únicas cobranças autorizadas são para cursos de especialização lato sensu. A UFSC já cobra por esse tipo de curso. 

Leia mais: Jornal Opção

 

Compartilhar