Câmara de Graduação da UFSC se posiciona sobre greve estudantil

Nota sugere que avaliações sejam suspensas até que situação seja apreciada pelo Conselho Universitário 

A Câmara de Graduação da UFSC emitiu uma nota nesta quarta-feira (11) em que orienta a comunidade acadêmica sobre as atividades de ensino após a deflagração de greve por parte dos estudantes. O texto sugere que não sejam realizadas avaliações até que as proposições apresentadas na assembleia estudantil que decidiu pela greve sejam apreciadas pelo Conselho Universitário.  

Como não existem medidas administrativas que deem conta dessa situação, a Câmara propõe que os Colegiados de Cursos, Departamentos e Conselhos de Unidades avaliem constantemente as consequências do movimento, mitigando possíveis conflitos, quando for o caso. Também pede “cautela, equilíbrio e serenidade”, para que sejam estabelecidas “interlocuções qualificadas”. 

Leia a nota na íntegra abaixo.

Considerando

  1. A circunstância decorrente das deliberações do movimento estudantil na UFSC, tomadas em assembleia realizada em 10 de setembro de 2019, quanto à paralisação de atividades estudantis, afetando diferentes Cursos de Graduação com proporções também diversasd+
  2. A ausência de deliberações quanto a paralisação das atividades de docentes e STAEs, que continuam desenvolvendo suas atividadesd+
  3. A inexistência de normativos que expressem medidas administrativas capazes de dar conta de tal situação
  4. O ambiente de anormalidade gerado por tal quadrosd+
  5. O contido no Estatuto Geral da UFSC, em seu artigo 19, em que

    “Compete à Câmara de Graduação:

    (…) IX – manifestar-se sobre assuntos, propostas ou planos afetos à sua área de atuaçãod+”

A Câmara de Graduação, em reunião realizada nesta data, encaminha à comunidade acadêmica a seguinte orientação:

– propor, no âmbito dos Colegiados de Cursos, Departamentos e dos Conselhos de Unidades, medidas que permitam a avaliação constante das consequências resultantes do movimento de estudantes, sugerindo, quando for o caso, ações de mitigação de possíveis conflitosd+

– agir com cautela, equilíbrio e serenidade, sempre propondo diálogos e condutas que possam estabelecer condições de interlocução qualificadasd+

– sugerir que não sejam realizadas atividades avaliativas até a apreciação e deliberação do Egrégio Conselho Universitário sobre as proposições apresentadas na referida assembleia.

 

Compartilhar