Ensino remoto na UFSC começa no dia 31 de agosto

Colegiados de cursos e departamentos terão cinco semanas para definir planos de ensino e disciplinas que serão ofertadas

Depois de três dias de reunião, o Conselho Universitário (CUn) decidiu que as atividades não presenciais na UFSC terão início na semana do dia 31 de agosto. O texto final da resolução que regulamenta o ensino remoto na universidade também prevê um período de cinco semanas para retomada do semestre, que deve ser concluído na semana de 14 de dezembro. 

O recesso acadêmico e o começo do semestre letivo de 2020.2 serão definidos em outro momento. 

Durante o período de preparação até o dia 31 de agosto, os colegiados de cursos e departamentos deverão definir os planos de ensino e as disciplinas que serão ofertadas na graduação e pós-graduação, além do cancelamento de matrículas e trancamentos de curso.

Até lá, estão previstas capacitação para uso das ferramentas digitais e a implementação de políticas de acesso à internet e equipamentos. 

Estudantes pedem reconsideração 

Membros do Diretório Central dos Estudantes (DCE Luís Travassos) pediram a reconsideração de alguns destaques, o que tomou algumas horas da reunião no período da tarde. Eles reivindicam que as aulas sejam, obrigatoriamente, gravadas e disponibilizadas aos alunos; que haja um limite de carga horária para as atividades em tempo real; que não seja aferida frequência e que sejam proibidas provas nas aulas em tempo real. 

Esses destaques foram votados na sexta-feira, quando o Conselho ainda não havia mudado a dinâmica de votação. A partir de segunda, após pedido do DCE, os votos deixaram de ser anônimos. 

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar pediu que o requerimento seja formalizado e disse que acolherá o pedido de reconsideração após a publicação da Resolução Normativa. 

Os conselheiros debateram por cerca de uma hora e meia sobre a legalidade da revisão dos pontos e sobre o processo de votação da Resolução de forma geral. 

Ao fim da reunião, Ubaldo Balthazar disse que chegaram à resolução de “forma democrática, bonita e por meio do debate”. “Não vamos nos atropelar. Não queria ver qualquer órgão de fiscalização vir aqui para a universidade forçando-nos a rever decisões que não sejam iniciativa nossa.”

Pela manhã, foi deliberado que o resultado das avaliações dos semestres excepcionais não será computado no Índice de Aproveitamento Escolar (IAA) dos estudantes. A proposta foi defendida com argumentos de diversos conselheiros, alertando sobre ser “improcedente falar de meritocracia neste momento”. O período de reajuste de matrícula também foi alterado, passando de 5 para 10 dias. 

O Conselho também deliberou sobre as chamadas do Vestibular UFSC/UFFS 2020 e de outros processos seletivos que estavam previstas para os meses de março e abril. Ficou decidido que elas serão mantidas e os novos estudantes serão chamados para realizarem suas matrículas e iniciar os cursos, independentemente se serão oferecidos presencialmente ou não presencialmente. Foi incluída a disposição sobre este item valer para todos os níveis de educação na Universidade, uma vez que a Educação Básica havia sido deixada de fora.

Outros pontos importantes 

Entre as outras decisões tomadas pelo CUn estão a proibição de condensação de disciplinas obrigatórias no recesso escolar e a possibilidade da oferta de disciplinas práticas e teórico-práticas. Essas disciplinas deverão ser oferecidas preferencialmente de forma remota e, para realização da parte prática, obedecer as orientações científicas da Comissão Permanente de Monitoramento Epidemiológico, a ser criada.

Alunos prestes a se formar, cuja conclusão de curso dependa do cumprimento de apenas uma disciplina obrigatória, poderão solicitar à Coordenação do curso que ela seja oferecida. O Conselho Universitário também já aprovou que estágios e disciplinas práticas apenas poderão ser realizados de forma não presencial. A exceção é para cursos ligados à área da saúde, que deverão seguir o disposto em resolução própria da UFSC.

Pós-graduação

Os artigos relativos à pós-graduação acompanharam, em sua maioria, os da graduação. Os colegiados dos programas de Pós-Graduação vão estabelecer quais disciplinas, turmas ou atividades formativas e de pesquisa serão ofertadas no curso. 

Diferentemente do que foi aprovado para a Graduação, no entanto, os Programas de Pós-Graduação poderão condensar no recesso escolar as disciplinas obrigatórias canceladas em função da pandemia.

Manifestos contra o ensino remoto 

Problemas técnicos e o debate de pontos polêmicos atrasaram as votações na última sexta-feira (17), primeiro dia da reunião que se prolongou nesta segunda (20) e terça-feira (21). . Foram mais de três horas até que os conselheiros começassem a votar o texto da minuta.  A manhã foi tomada pela leitura de manifestos e pela discussão em torno da metodologia para votação das propostas. O impasse sobre a metodologia foi resolvido com a votação da matéria, com 87% dos votos a favor da metodologia proposta pela comissão e 13% contra. Também foi aprovada em votação a não apresentação de novos destaques àqueles já apresentados.

O relator da comissão, professor Carlos Alberto Brunetta, explicou que o texto original das propostas foi elaborado pelos subcomitês que compõem o Comitê de Combate à Pandemia da Covid-19 e que professores, estudantes e técnicos-administrativos tiveram uma semana para sugerir destaques. O trabalho da comissão foi sistematizar esses destaques e apresentar uma proposta de metodologia de votação.

Imprensa Apufsc


Compartilhar