Intervenção na UFC completa um ano

ADUFC publicou nota em defesa da autonomia universitária; confira

No último 19 de agosto, a intervenção realizada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Universidade Federal do Ceará (UFC) completa um ano. Em agosto de 2019, Bolsonaro nomeou o atual reitor, Cândido Albuquerque, que foi o terceiro colocado da lista tríplice, tendo recebido 610 votos na consulta pública, enquanto o primeiro colocado teve 7.772 votos.

A intervenção provocou reações com o mote “Fora Interventor” por parte do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC-Sindicato) e da comunidade universitária.

Para marcar um ano da intervenção, a ADUFC publicou uma nota em defesa da autonomia universitária. Confira:

Neste 19 de agosto de 2020, a intervenção na Universidade Federal do Ceará (UFC) completa um ano. Filha carnal do bolsonarismo, a gestão de Cândido Albuquerque repete localmente o estilo autoritário e agressivo do Planalto.

Porém, este ano que passou não foi somente de ataques à democracia e à autonomia universitária. Apesar do interventor e de suas tentativas de nos calar, estivemos juntos na luta, professores/as, alunos/as, técnico-administrativos/as e sociedade cearense, defendendo a universidade de uma gestão que coloca em risco um projeto público bem-sucedido de educação democrática e de produção científica.

A nomeação do interventor completa um ano. A nossa luta diária pela democracia e em defesa da UFC, também. Continuamos lutando. E SOMOS MUITOS.

“Você vai ter que ver

A manhã renascer

E esbanjar poesia

Como vai se explicar

Vendo o céu clarear

De repente, impunemente

Como vai abafar

Nosso coro a cantar

Na sua frente

Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia.”

Compartilhar