Conselho Universitário aprova nota em memória ao reitor Cancellier

“A UFSC não esquecerá a violência de que toda a instituição foi vítima na pessoa de seu Reitor”, diz um trecho da nota aprovada no dia 27 de setembro

O Conselho Universitário aprovou no dia 27 de setembro nota em memória ao reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo. Abaixo o texto na íntegra:

O dever de memória é o dever de fazer justiça. Somos confrontados com uma dívida perante todos aqueles que foram. E, perante aqueles dos quais somos devedores, têm prioridade as vítimas. (Paul Ricoeur)

Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina de 10 de maio de 2016 a 2 de outubro de 2017, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, retirado de sua casa às 6h30 da manhã do dia 14 de setembro de 2017, e levado à Polícia Federal para responder a um inquérito penal, durante 5 horas, do qual tinha completo desconhecimento. Acusado de obstruir a justiça, em um procedimento sem prova nem fundamento, foi destituído de sua privacidade, da sua intimidade, de seu direito de defesa, da presunção de sua inocência, do exercício de sua função pública, da comunicação com seus colegas, do seu direito de ir e vir, de suas vestes, da sua dignidade.

Sua vida foi expropriada de todo conteúdo. De sua existência nada restou, somente seu corpo e seu espírito profundamente torturado. Largado aos dias vazios e à bruxuleante esperança, que familiares e amigos mais próximos obstinavam-se a avivar.

O reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, um acadêmico de vida pública na UFSC desde 2005, professor concursado, dormiu no dia 13 como um servidor público exemplar e acordou no dia 14 como sentenciado meliante; alienado de sua vida e de tudo que tinha de valor para ele, e para a sociedade.

Nada foi apurado, e a história registrou o soerguer da inquisição por sobre o solo constitucional.

A morte física de nosso saudoso reitor finalizou o martírio de sua dessubjetivação. Sua memória, todavia, estará viva enquanto houver a sede por justiça e verdade. Hoje seu nome é emprestado à lei 13.869/2019, que define os crimes de abuso de autoridade cometido por agente público, que, no exercício de suas funções ou a pretexto de exercê-las, abuse do poder que lhe tenha sido atribuído.

A UFSC não esquecerá a violência de que toda a instituição foi vítima na pessoa de seu Reitor. É a memória que lhe manterá vivo. É ela a mais forte arma da justiça e da verdade, mãe da ciência e da ética, força de nossa instituição.

Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, PRESENTE.

Fonte: Agecom

Compartilhar