Após críticas, Inep divulga carta de esclarecimento sobre o Saeb 2021

Segundo Correio Braziliense, órgão afirma que o sistema de avaliação vai ser aplicado, mas viabilidade da aplicação é debatida devido às limitações por conta da pandemia

Nesta quinta-feira (29), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nota de esclarecimento sobre a aplicação do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2021. O pronunciamento veio após matéria do jornal Folha de S.Paulo, que revelou intenção do Ministério da Educação (MEC) de cancelar os testes em razão da pandemia.

De acordo com o Inep, o cancelamento da aplicação dos testes e questionários não está em discussão, “mas sim a viabilidade de sua aplicação de modo censitário, conforme estava planejado”. A autarquia afirma que, junto com o MEC, têm tido reuniões com entidades que representam a educação básica “para avaliar a possibilidade de aplicação do Saeb, considerando todas as restrições impostas ao funcionamento das escolas devido à pandemia de covid-19″

O órgão pontua que uma das propostas para a aplicação é o adiamento do Saeb para 2022.

“O ponto central no debate é o fato de a aplicação do Saeb depender do funcionamento presencial das escolas, situação que, no estágio atual da pandemia de COVID-19, é de alto risco. Mesmo com atividades presenciais, a taxa de participação dos alunos na avaliação pode ser baixa”, argumenta o Inep. “Pedagogicamente, a ausência dos alunos pode criar vieses de interpretação da real condição do processo de ensino-aprendizagem nas escolas de todo o Brasil, ao longo dos dois últimos anos, com possíveis impactos na série histórica do Saeb”.

De acordo com o Inep, o cancelamento da aplicação dos testes e questionários não está em discussão, “mas sim a viabilidade de sua aplicação de modo censitário, conforme estava planejado”. A autarquia afirma que, junto com o MEC, têm tido reuniões com entidades que representam a educação básica “para avaliar a possibilidade de aplicação do Saeb, considerando todas as restrições impostas ao funcionamento das escolas devido à pandemia de covid-19″

O órgão pontua que uma das propostas para a aplicação é o adiamento do Saeb para 2022.

“O ponto central no debate é o fato de a aplicação do Saeb depender do funcionamento presencial das escolas, situação que, no estágio atual da pandemia de COVID-19, é de alto risco. Mesmo com atividades presenciais, a taxa de participação dos alunos na avaliação pode ser baixa”, argumenta o Inep. “Pedagogicamente, a ausência dos alunos pode criar vieses de interpretação da real condição do processo de ensino-aprendizagem nas escolas de todo o Brasil, ao longo dos dois últimos anos, com possíveis impactos na série histórica do Saeb”.

Leia na íntegra: Correio Braziliense

Compartilhar