Piorando

Por Nestor Roqueiro

É incrível como a cada boletim que passa o futuro do sindicalismo na UFSC fica pior. Agora, no Especial 2, leio no primeiro parágrafo do texto do andes (com minúscula) “Significará … retoma (d)o engajamento do(a)s docentes da UFSC na luta com o conjunto da categoria… “. Como se o fato de estar subordinado ao sindicato nacional de repente, quase que como por arte de magia, vai fazer com que os docentes da UFSC se filiem maciçamente ao sindicato e passem a participar ativamente de todas as atividades sindicais.

Não tem um parágrafo, uma linha, nem sequer o espaço no interior de uma vírgula dedicado como isso vai acontecer.  Aliás, a falta de preocupação com o engajamento dos professores foi sempre a tônica que somente era interrompida quando da convocação para uma greve. O resto do texto é arroto e regurgitação de incisos e artigos que mostram que o interesse esta no aparelho e não nos docentes. 

O segundo texto é mais pobre que o primeiro e mostra, claramente, como “negociaram” com o poder da época (longínqua)  para “obter” melhores condições de trabalho. Fora isso, dizem que vão deixar a grana dos associados na Apufsc, e só. 

Em definitivo, que podemos extrair do boletim? Nada. Continua sendo uma disputa espúria em que os associados da Apufsc somos tratados como gado. 

Tomara que quando seja feita a consulta aos associados para ver a que sindicato nacional se filiar ninguém apareça para votar, quem sabe assim vão nos levar a sério.

Professor do Departamento de Automação e Sistemas

Compartilhar