Pelo menos 52 pesquisadores da Capes que atuam em avaliação renunciam coletivamente

Cientistas afirmam que instituição não tem se empenhado em defender avaliação que foi paralisada pela Justiça, destaca o Globo

Trinta e um pesquisadores da área de Matemática, Probabilidade e Estatística (Mape) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (Capes) renunciaram coletivamente, nesta segunda-feira. Em uma carta, os cientistas acusam a Capes de não respaldar o trabalho de avaliação desempenhado por eles e criticam a presidência da instituição por não defender a Avaliação Quadrienal da pós-graduação, suspensa por decisão judicial em setembro.

A carta cita ainda que a instituição tem alterado parâmetros sem consultar as áreas responsáveis. Os pesquisadores afirmam que foram demandados a elaborar pareceres sobre expansão de programas de pós via ensino à distância com rapidez. Segundo eles, as decisões da Presidência e da Diretoria de Avaliação (DAV) da Capes têm pego os pesquisadores “de surpresa” e causam prejuízos ao trabalho.

O documento endereçado à Diretoria de Avaliação é assinado por três coordenadores da área e 28 pesquisadores, que atuam como consultores ad hoc na avaliação quadrienal de Matemática, Probabilidade e Estatística. Os coordenadores têm mandato de quatro anos e os consultores atuam enquanto dura a avaliação. Em setembro, a Justiça Federal no Rio de Janeiro determinou a suspensão dos processos de avaliação de cursos de pós-graduação feitos pela Capes sob argumento de que a instituição não poderia aplicar retroativamente mudanças nos critérios avaliativos. A suspensão do procedimento, que é responsável por atribuir nota aos programas de mestrado e doutorado no país, gerou reação na área científica.

Leia na íntegra: O Globo

Compartilhar