Ministro interino e cotado para cargo, nº 2 do MEC também esteve com pastores

Segundo a Folha, Victor Godoy Veiga é o nome mais forte para assumir o lugar de Milton Ribeiro

Com a exoneração do pastor Milton Ribeiro do MEC (Ministério da Educação), a pasta fica sob a responsabilidade de Victor Godoy Veiga, então secretário-executivo, até que o presidente Jair Bolsonaro (PL) decida o substituto. Ele foi nomeado interino na edição desta quarta (30) do Diário Oficial da União.

O número 2 do MEC na gestão de Ribeiro é também o principal cotado para permanecer em definitivo à frente do ministério, mas o presidente ainda não tomou sua decisão.

Milton Ribeiro deixou o cargo nesta segunda-feira (28) sob acusações de privilegiar pastores suspeitos de negociar liberações de verbas da pasta em troca de vantagem indevida. A queda do ministro ocorreu uma semana após a Folha revelar áudio em que o próprio Ribeiro fala em priorizar os amigos de um dos pastores e que isso seria um pedido de Bolsonaro.

Pessoa de confiança de Ribeiro, Victor Godoy já esteve com os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura em eventos no MEC. Isso ocorreu em 13 de janeiro de 2021, quando o ex-ministro recebeu prefeitos e os pastores em agenda classificada como “alinhamento político”.

Leia na íntegra: Folha

Compartilhar