Servidores do BC criticam ‘uso eleitoral’ do Pix por Bolsonaro e decidem manter greve

Segundo o presidente do Sindicato Nacional de Funcionários do BC (Sinal), a manutenção da paralisação por tempo indeterminado foi aprovada por ampla maioria nesta terça-feira, afirma o Estadão

Os servidores do Banco Central decidiram manter a greve por tempo indeterminado em assembleia na tarde de hoje. Segundo o presidente do Sindicato Nacional de Funcionários do BC (Sinal), Fábio Faiad, a manutenção da paralisação foi aprovada por ampla maioria nesta terça-feira, 10, e deve-se à ausência de negociação com o governo.

O Sinal ainda repudiou hoje o que classificou como “uso eleitoral do Pix”. O presidente Jair Bolsonaro tem destacado a ferramenta como um dos projetos de seu governo. “Tal sistema de pagamento instantâneo foi criado e implementado pelos Analistas e Técnicos do Banco Central do Brasil – ou seja, por servidores concursados de Estado, não pelo atual governante ou por qualquer outro governo.”

No mês passado, Bolsonaro disse que não usa Pix. “Não tenho, estou a fim de fazer um aí. Cai dinheiro na conta da gente de graça? Se pedir, o pessoal bota? Vou fazer meu Pix aí”, disse o presidente, aos risos, em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Em outubro de 2020, quando foi parabenizado por apoiadores pelo Pix, o presidente disse não saber do que se tratava a ferramenta. “Não tomei conhecimento. Vou conversar essa semana com o Roberto Campos Neto [presidente do Banco Central”, disse, na ocasião. À época, o Pix ainda não estava em funcionamento, mas já havia sido anunciado pela autarquia após dois anos de discussão. 

Leia na íntegra: Estadão

Compartilhar