Bolsonaro confirma que não dará reajuste a servidores, mas diz que pode dobrar vale-alimentação

Governo estudava a possibilidade em conceder aumento de 5% neste ano eleitoral, mas recuou por falta de recursos, destaca a Folha

A quatro meses das eleições, o presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou nesta segunda-feira, dia 13, que não haverá reajuste para servidores neste ano. Ele disse, contudo, que ainda está em estudo a possibilidade de dobrar o valor do auxílio-alimentação de todas as categorias ainda em 2022.

“Lamentavelmente, não tem reajuste pra servidor. Nós estamos tentando agora, que tem que vencer legislação eleitoral, dobrar, no mínimo, o valor do auxílio-alimentação”, disse a jornalistas em frente ao Palácio do Planalto. Ele não detalhou, contudo, quanto custaria o incremento do benefício.

Segundo Bolsonaro, não haverá reajuste por falta de recurso no Orçamento. O governo estudava conceder um reajuste ainda mais generoso para carreiras policiais, que integram sua base de apoiadores.

O Executivo paga hoje um auxílio-alimentação de R$ 458 mensais a todos os servidores ativos, exceto aqueles que estão afastados por licença-capacitação de longa duração ou por cessão a organismos internacionais. Os valores tiveram o último reajuste em 2016 e estão bem abaixo do que é pago pelos demais Poderes.

Leia na íntegra: Folha de S. Paulo

Compartilhar