Nota de pesar: Falece o professor Hamilton Carvalho de Abreu, ex-presidente da Apufsc

Abreu era professor aposentado do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFSC

Faleceu neste domingo, dia 27, o professor aposentado Hamilton Carvalho de Abreu, que presidiu a Apufsc-Sindical entre 1985 e 1986. Abreu foi professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde também atuou como chefe de departamento.

A Apufsc-Sindical presta suas condolências e solidariedade aos amigos e familiares do professor.

Colegas que trabalharam e conviveram com o professor Hamilton Carvalho de Abreu lamentaram a perda e prestaram homenagens. Confira abaixo as manifestações:

O Hamilton foi um grande colega, companheiro, tanto na associação de professores, quando trabalhei com ele na Diretoria, quanto na assessoria política que prestamos ao reitor Diomário de Queiroz. Ele sempre estava atento aos grandes problemas do movimento docente, participando ativamente e contribuiu com o crescimento do movimento a partir da inserção do que dizia respeito à luta dos docentes, a defesa de verbas das instituições públicas. Hamilton era uma pessoa muito crítica e zelosa na defesa da universidade pública.

José Guadalupe Fletes, presidente da Apufsc-Sindical

O professo Hamilton era uma pessoa muito dedicada ao movimento docente na UFSC, num período difícil de enfrentamento do regime autoritário, de construção do movimento nacional docente. Foi uma pessoa muito comprometida com a universidade, com uma visão de mundo sensível e humanitária. Enfim, uma pessoa que sempre esteve muito próxima da Apufsc, então é uma perda que deixa todo mundo muito triste e o movimento docente da UFSC vai sentir muito essa perda.

Carlos Alberto Marques, ex-presidente da Apufsc-Sindical

A partida de Hamilton Abreu é uma perda muito grande. Eu o conheci em 1982, quando ingressei no Departamento de Arquitetura e Urbanismo e guardo muitas recordações da convivência com ele nestes quarenta anos. Foi em vida uma pessoa sempre muito lúcida, engajada politicamente e, ao mesmo tempo, cuidadora do seu corpo, por meio da natação, artes marciais, ciclismo e outras práticas físicas. Foi um colega muito generoso. Minhas lembranças mais recentes são os encontros na porta do cinema, eventos artísticos e culturais, que foram frequentes nos últimos anos antes da pandemia, que ele comparecia com sua inseparável e sempre muito disposta companheira, Dionice, para quem enviamos um abraço fraterno.

Paulo M. B. Rizzo, professor aposentado do Departamento de Arquitetura e Urbanismo

Professores e professoras que desejarem prestar suas homenagens por meio desta nota, podem enviar seus depoimentos por e-mail para [email protected]

Imprensa Apufsc