Pelo menos 40 terceirizados da UFSC já receberam aviso de demissão

Os cortes  são resultado do contingenciamento de verbas feito pelo MECd+ os trabalhadores que receberam aviso prévio são dos setores da limpeza e vigilância

 

Segundo o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores da UFSC – Sintufsc, Ricardo Rocha, há duas semanas o sindicato vem recebendo relatos de funcionários terceirizados que receberam aviso prévio de demissão. No total são 40 trabalhadores até esta sexta-feira (19), dos setores de limpeza e vigilância.

Os cortes são consequência do contingenciamento nas verbas de custeio das universidades, que abrangem as despesas com os serviços terceirizados. O Sintufsc solicitou uma reunião com a administração central da UFSC para pedir esclarecimentos sobre a situação dos trabalhadores. O Sintufsc também se reuniu na última terça-feira (16) com o sindicato dos trabalhadores nas empresas prestadoras de serviços de asseio e conservação (Sindilimp) para se inteirar e ajudar a encaminhar a situação junto à Reitoria.

Para o presidente da Apufsc, Bebeto Marques, o caso revela as restrições orçamentárias impostas pelo governo atual. “Os efeitos negativos estão sendo sentidos tanto pelos trabalhadores, que ficarão sem emprego numa economia recessiva, quanto pela universidade, que terá manutenção e funcionamento comprometidos”, lamenta. 

A Secretaria de Planejamento e Orçamento (SEPLAN), responsável pela administração financeira da universidade, informou apenas que os cortes estão relacionados com o contingenciamento do MEC e que somente o secretário Vladimir Fey poderia divulgar mais detalhes. Houve algumas tentativas de contato com o secretário, porém sem sucesso.

O Departamento de Projetos, Contratos e Convênios, responsável pela contratação dos serviços terceirizados, preferiu não se pronunciar sobre o caso antes da Seplan. 


 

Compartilhar