Sindicato dos docentes das federais de Goiás protocola ação civil pública contra Weintraub

Pedido cobra do ministro e da União indenização por seus ataques sem provas à categoria e às universidades

A Adufg, sindicato que representa os professores das universidades federais de Goiás, protocolou uma ação civil pública contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e a União.  Na ação, a entidade pede o pagamento de R$ 300 mil a cada corpo docente como indenização por danos morais coletivos em razão das declarações ofensivas feitas pelo ministro no último ano . O valor seria revertido para os custeios das respectivas instituições: UFG (Universidade Federal de Goiás), UFJ ( Federal de Jataí) e  UFCat (Federal de Catalão).

“Dentre as ofensas mais graves à honra e moral dos professores e professoras destacamos a denominação destes de ‘zebras gordas’ levando a população entender que recebem salários em torno de 20 mil reais para trabalharem meras 8 horas semanais”. A ação cita também as declarações de Weintraub sobre produção de droga e plantações de maconha nas universidades brasileiras.  

Para o corpo jurídico do Adufg-Sindicato, Weintraub adotou a postura de um “anti-ministro”, “que visa a dificultar a melhoria da educação pública superior no Brasil, exatamente o papel contrário que se espera do chefe da maior pasta (em orçamento) da União”. 

Leia na íntegra: Adufg-Sindicato

Compartilhar