Subcomitê Científico apresenta relatório para plano de funcionamento da universidade

Nesta primeira etapa, estão previstos três ciclos, que serão detalhados em reunião extraordinária do Conselho Universitário nesta segunda-feira (8)

Nesta segunda-feira, 8 de junho, o Subcomitê Científico vai apresentar suas conclusões em sessão extraordinária do Conselho Universitário a partir das 10 horas. Já os relatórios dos demais comitês serão concluídos entre 10 e 12 de junho para serem votados até o prazo máximo de 30 de junho. Para acompanhar  a reunião de hoje do Conselho acesse o canal do Conselho Universitário no Youtube

Segundo o chefe de gabinete, Aureo Mafra de Moraes, “a UFSC está bem próxima de concluir uma primeira etapa de relatórios que irão lhe permitir estabelecer uma Normativa no Conselho Universitário que estabeleça um modelo de funcionamento da universidade durante e após a a pandemia de covid-19”. Na última sexta-feira (5), ele  fez um novo balanço dos trabalhos dos subcomitês, e prevê para esta semana a finalização das primeiras propostas, decisões que o Conselho Universitário deverá votar.

 O trabalho foi iniciado em 11 de maio com a criação de cinco comitês mais um comitê assessor, um comitê central e cinco subcomitês (científico, acadêmico, comunicação, infra-estrtura e administração  e de assistência estundantil ) que levantaram informações para subsidiar as decisões do CUn.

>> Assista aqui ao vídeo com as declarações do chefe de Gabinete

Esta é previsão para a tomada de decisão sobre a primeira etapa, ou o primeiro ciclo de enfrentamento à Covid-19. Os demais ciclos demandarão mais trabalho dos comitês, mas haverá subsídios para tomar as decisões iniciais sobre atividades não presenciais.

O plano, explica Aureo, é para que a UFSC consiga “desenvolver um projeto que seja perene, que permita à Universidade não apenas enfrentar o imediato e o urgente, mas aquilo que vai nos acompanhar como instituição e como sociedade para além do mês de junho, do mês de julho”. “Isso vai até dezembro. E nós precisamos ter um projeto consistente, e é isso que está sendo elaborado”.

Aureo salientou que é importante que os docentes, técnicos e estudantes respondam ao questionário sobre atividades acadêmicas. “Nós queremos ouvir essa comunidade para saber qual é o tamanho da demanda que nós temos que atender para que nenhum estudante de graduação, de pós-graduação, nenhum técnico, nenhum docente, fique sem conseguir desenvolver as suas atividades no modelo alternativo que for: remoto, com apoio digital”.

Três ciclos

O primeiro relatório do Subcomitê Científico virá com um plano de funcionamento em três ciclos: um primeiro que prevê o isolamento social, trabalho remoto e atividades de ensino por meios digitais; um segundo ciclo que depende de alguns requisitos epidemiológicos para permitir algumas atividades presenciais e outras remotas; e um terceiro ciclo que será colocado em prática quando a pandemia estiver sob controle, de acordo com parâmetros científicos.

O detalhamento desse plano será apresentado nesta segunda-feira, ao Conselho Universitário, com transmissão ao vivo pelo YouTube.

“Para esse primeiro ciclo, já saiu inclusive um edital para financiar pelo menos 20 projetos voltados à produção de material didático, à formação de professores, para nos preparar para esse primeiro momento na oferta de ensino por meios digitais”, conta. E esse primeiro ciclo de atividades remotas, ele esclarece, “vai durar o tempo necessário para o nosso comitê científico dizer: ‘Olha, já podemos avançar mais um degrau. Os casos diminuíram, o risco de contaminação diminuiu, os óbitos diminuíram’ e aí a Universidade vai poder começar a trabalhar numa volta gradativa à atividade presencial naquilo que for possível”, complementa.

Para o terceiro ciclo, é impossível estimar quando ele poderá ser implementado, pois prevê que a pandemia esteja controlada. “Mas a Universidade vai estar preparada para isso. Ela vai estar estudando hoje já quais são as possibilidades para que quando chegar o momento”, complementa o gestor.

Mais uma vez, Aureo garantiu que qualquer decisão será comunicada com tempo hábil para que os estudantes que retornaram para as casas de seus familiares possam se organizar, mesmo que seja para as soluções de acesso às tecnologias digitais.

Painel do Grupo de Risco

Aureo também destacou a nova ferramenta de gestão lançada nesta semana – o Painel do Grupo de Risco. Ele demonstrou como funciona o instrumento de trabalho, disponível às chefias, para visualizar um acompanhamento diário da situação da saúde de cada um dos técnicos e docentes lotados na Unidade Acadêmica ou Administrativa.

“Esse tipo de informação, esse tipo de ferramenta, é resultante desse esforço, desse trabalho, dessa dedicação de técnicos, de docentes, de pesquisadores, de trabalhadores desta Universidade para que a gente possa ter soluções não imediatas, mas que nos permitam monitorar o tempo todo a situação de saúde das pessoas e achar soluções perenes que sirvam durante todos os ciclos de combate à pandemia”, concluiu.

>> Saiba mais sobre o Painel do Grupo de Risco na UFSC

Notícias UFSC

Compartilhar