Rede social é usada por professor da UFSC como ferramenta de educação científica

Cientista André Báfica, que coordena desenvolvimento de vacina contra o novo coronavírus, produz conteúdos na plataforma de vídeos Tik Tok

À frente do desenvolvimento de vacina contra o coronavírus, o professor André Báfica também se familiariza com o conceito de viralizar na internet. Coordenador do Laboratório de Imunobiologia no Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP) da UFSC, o cientista  participa de iniciativa global da ONU que, com apoio do Verificado e do Vaccine Confidence Project, propõe que pesquisadores de vacinas contra o novo vírus falem de ciência pelo Tik Tok. Um dos vídeos do professor, explicando o que acontece no corpo quando nos vacinamos, já atingiu quase 70 mil visualizações na plataforma.

Para Báfica, a divulgação do que é feito nas instituições de ensino superior é imprescindível. “As pessoas usam os equipamentos, os remédios, tudo o que é produzido na universidade. Tudo começa com ciência básica, com um tubinho de ensaio, e as pessoas se beneficiam das descobertas’’. De acordo com ele, é preciso demonstrar isso para a sociedade, o que passa por um trabalho de educação científica, a ser feito também pela UFSC. “Precisamos aprender formas de comunicar o que fazemos, de nos conectar com as pessoas, mas isso deve ser feito de forma natural, conectada com a realidade delas”.

O cientista defende que plataformas democráticas como o Tik Tok podem ser meios para as pessoas receberem informações científicas confiáveis. “As pessoas podem se educar online se trabalharmos com educação científica nessas plataformas. É uma forma de a universidade não só continuar existindo, mas se fortalecer”, expõe.

O professor ressalta, no entanto, que a intensa carga de trabalho dos docentes, passando pela pesquisa, docência, extensão, dificulta a elaboração de iniciativas nesse sentido. Para ele, a UFSC deve institucionalizar a divulgação científica, colocá-la como prioridade. “Devemos demonstrar que a universidade é muito maior do que uma aula nas quatro paredes, é infinitamente maior. É um lugar para fluxo de ideias novas, descobertas, conhecimento, informações de onde vamos no futuro”, afirma. 

Junto com Daniel Mansur, Báfica lidera pesquisa sobre a imunização contra o vírus SARS-CoV-2. O projeto, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é uma parceria dos professores da UFSC com pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade de Cambridge (Inglaterra), o Instituto Butantan e Karolinska Institutet (Suécia).

Leia mais sobre a pesquisa no site da UFSC.

Com informações da Agecom

Campanha #aUFSCnãopara divulga trabalho dos docentes
A campanha pretende destacar ações de ensino, pesquisa e extensão que estão em desenvolvimento na UFSC, inclusive durante a pandemia. Professores podem mandar conteúdos e vídeos. Quer saber mais? Acesse e participe.

Compartilhar